O Fortaleza que não vence

Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

Se nada foi possível contra o medíocre time do Sport, fica difícil imaginar diante de quem o Fortaleza vai conseguir um resultado de três pontos.

O Leão da Ilha assinalou aos nove minutos, com a marca da categoria de Thiago Neves, o gol que lhe deu a vitória e na maior parte do jogo não fez outra coisa senão lutar para manter a vantagem.

Ao Tricolor cearense faltou: consciência maior para não tentar jogadas onde o espaço era menor, desenvoltura individual de jogadores como João Paulo, Romarinho e Wellington Paulista.

Osvaldo respondeu sozinho pela frágil força de ataque, e Gabriel ainda conseguiu fazer com que o lado direito do tricolor não fosse um deserto.

De resto algumas viradas de jogo e as indefectíveis jogadas áreas sem nenhum resultado.

Bola no alvo, nem pensar.

Na segunda etapa, foi cansativo assistir um Sport todo recolhido no seu campo a merecer piedade cristã pela incapacidade de ficar em pé e organizar um escasso contra golpe.

O time pernambucanos arrastou-se em campo e o Fortaleza, com algumas alterações, nada mais fez do que especular em busca de profundidade ofensiva que nunca veio. 

Um gol anulado de Éderson, que estava impedido, e um chute no alvo de Gabriel foram as únicas jogadas possíveis.

Difícil extrair algo que prestasse no jogo todo, a não ser, claro, os três pontos obtidos pelos pernambucanos numa fase de fuga de uma situação de trevas.

Deus que nos livre de outros jogos desse nível.