PSDB quer ser ouvido no debate de sucessão no governo: "não podemos ser alijados do processo"

O presidente do partido no Ceará emitiu nota nas redes sociais com a cobrança

Legenda: O ex-senador quer mais protagonismo do PSDB no debate de sucessão
Foto: Pedro França/Agência Senado

Em meio à indefinição da candidatura governista, o PSDB do Ceará cobrou, na noite desta quinta-feira (7), participação "mais efetiva" na discussão da sucessão ao Palácio da Abolição.

Nas redes sociais, o presidente da sigla, Chiquinho Feitosa, divulgou uma nota pedindo "diálogo respeitoso e transparente" por parte das lideranças que conduzem o debate interno no grupo.

Nós do PSDB, que compomos o arco de aliança que tem ajudado a governar o Estado do Ceará nos últimos anos, com a garantia de muitos avanços, afirmamos aqui nosso desejo de participar de forma mais efetiva do processo de escolha do(a) candidato(a) que irá representar esse projeto nas eleições ao Governo do Estado, no próximo mês de outubro, através de diálogo respeitoso e transparente, cabendo ao PDT a condução desse processo
Chiquinho Feitosa
Presidente do PSDB Ceará

O dirigente cita ainda que "o alinhamento de ideias e projetos, bem como a capacidade de aglutinar apoios, serão fundamentais nesse processo".

Em contato com a coluna, Chiquinho afirmou também que "o PSDB está unido em um mesmo pensamento. Uma crença de que não podemos, enquanto partido que compõe a base governista por tanto anos, ser alijados do processo que escolherá o(a) candidato(a) ao governo".

Pressão

A nota do PSDB ocorreu minutos depois que os partidos PT, MDB, PP, PV e PCdoB emitiram posicionamento conjunto sobre a sucessão estadual.

"A manifestação pública da governadora Izolda Cela colocando seu nome para continuar governando o Estado, firmando-se na responsabilidade e compromisso com o povo do Ceará e em nome da união a ser construída através do diálogo de todas as forças políticas, é fato de grande relevância a exigir nossa consideração", escreveram os dirigentes no manifesto.

Apesar do posicionamento de partidos ao longo dos últimos dias, como PP, MDB e PT, o PDT segue discutindo a sucessão isoladamente. 

Na prática, com a nota, os líderes pressionam o PDT a definir pela reeleição da governadora em detrimento do nome do ex-prefeito Roberto Cláudio. A publicação da nota conjunta teve o aval do ex-governador Camilo Santana.

União

A movimentação dos partidos ocorreu logo após a governadora Izolda Cela publicar nas redes sociais que se coloca para concorrer ao Palácio da Abolição com o objetivo de "unir".

As palavras da governadora foram recebidas pelos aliados como um recado ao ex-prefeito de Fortaleza, que tem enfrentado resistências com partidos políticos e lideranças regionais. 



Assuntos Relacionados