Análise: Fortaleza faz sua parte e conquista vitória essencial em estreia na Copa Sul-Americana

Tricolor de Aço bate adversário mais acessível fora de casa e lidera grupo D

Legenda: O Fortaleza venceu o Trinidense em sua estreia na Sul-Americana
Foto: Mateus Lotif / Fortaleza EC

Pode parecer estranho falar em vitória essencial na Sul-Americana logo na estreia, mas é isso mesmo. Pela configuração do Grupo D, o Fortaleza precisava vencer o Sportivo Trinidense/PAR, fora de casa e largar bem. A vitória por 2 a 0 no Defensores Del Chaco, no Paraguai, foi diante de um adversário fraco, e o mais acessível de seu grupo. Conquistar 3 pontos, portanto, era essencial para uma equipe que ambiciona terminar o Grupo D na liderança.

Afinal, seu grupo tem dois adversários complicados como mandantes: Boca Juniors e Nacional Potosí (na temida na altitude), em que sair com 3 pontos é mais complicado. E pelas 'contas' para a liderança de qualquer grupo de 4 com 6 rodadas, vencer as 3 partidas em casa e uma fora é essencial. A partida fora o Leão já conseguiu. Faltam as 3 em casa. 

O Leão recebe o Nacional de Potosí no Castelão na próxima rodada, no Castelão, no dia 10, em mais uma partida acessível. Se vencer, já chegará a 6 pontos. No outro jogo, o Boca recebe o Trinidense em La Bombonera e deve vencer com tranquilidade.

Assim, o grupo já se desenha com Fortaleza e Boca Juniors disputando ponto a ponto a liderança, com o 1º enfrentamento, acontecendo na 3ª rodada, no dia 25 no Castelão.

Já dá para descartar o Nacional Potosí disputar a liderança pelo fato dele não ter vencido o Boca Juniors na altitude de 3.960 metros. Para um time que joga em casa nestas condições, o 'risco' de conquistar os 9 pontos em casa o colocaria como postulante à liderança. Como já tropeçou contra um time quase 'C' do Boca, esquece, será o saco de 'pancadas' fora e só os pontos em casa não serão mais suficientes.

Legenda: O 1º tempo foi de domínio do Fortaleza, mas desperdiçando muitas finalizações
Foto: Mateus Lotif / Fortaleza EC

Agora é decisão

Com a vitória na estreia da Sula, o Leão volta suas atenções para o Clássico-Rei de sábado que vale o título cearense. Para o Fortaleza, vale um hexa e ter vencido no Paraguai dá mais tranquilidade. Quebra um incômodo jejum - eram 4 jogos sem vencer - e chega para o clássico com um astral melhor.

Mas a atuação com um time praticamente reserva não foi de brilhar os olhos do torcedor. A vitória foi justa, mas apenas no 1º tempo o Leão mostrou um bom futebol e domínio. Muitas chances foram criadas, e desperdiçadas, como duas com Machuca, uma com Pochettino e outra com Galhardo.

Pedro Augusto em Sportivo Trinidense x Fortaleza
Legenda: Pedro Augusto em Sportivo Trinidense x Fortaleza
Foto: Mateus Lotif / Fortaleza EC

Só que na etapa final, a equipe foi pressionada pelo fraco Trinidense, correndo alguns riscos de sofrer o empate. O goleiro João Ricardo precisou trabalhar, com pelo menos duas defesas difíceis, e só nos acréscimos o 2º gol saiu.

De desgaste para o Clássico tem a viagem de ida e volta do Paraguai, claro, e a utilização de alguns 'titulares'.
João Ricardo, Kuscevic e Brítez titulares no Clássico anterior, começaram jogando, enquanto Lucas Sasha, Bruno Pacheco e 
Hércules entraram na etapa final. De poupados: Dudu, Titi, Lucero e Moisés.