Indústria de telhas que geram energia vai iniciar obras em Quixadá

Projeto da Telite terá investimento de R$ 15 milhões; serão gerados 100 empregos

Telha grafeno
Legenda: Telha com grafeno
Foto: Divulgação

Com investimento de R$ 15 milhões e previsão de gerar 100 empregos, a nova indústria de telhas de plástico da Telite no Ceará começa a sair do papel em junho.

No dia 30 do próximo mês, será lançada a pedra fundamental do empreendimento, chamado de Telite X Solar, em Quixadá.

Com o acréscimo do grafeno, essas telhas poderão gerar energia elétrica a partir da luz do sol, semelhante ao que ocorre com painéis fotovoltaicos.

O plástico a ser usado nas telhas será 100% reciclado, o que deve gerar demanda e renda para recicladores da região.

Parceria com UFC

Leonardo Retto, CEO da empresa, afirma que a Telite e a UFC de Quixadá firmarão parceria para um projeto de inovação que envolverá o desenvolvimento de um sistema de gestão de agendamento para coleta de resíduos recicláveis.

"É um projeto que fortalece a parceria entre a Universidade e empresas do Sertão Central e promove desenvolvimento tecnológico e impacto direto na qualidade do trabalho das pessoas que coletarão material reciclável para a Telite”, afirma o executivo.

O investimento foi prospectado por meio do programa Pontes de Oportunidades para o Desenvolvimento (Pode), cujo objetivo é atrair negócios e desenvolvimento sustentável ao interior do Ceará.

“Uma das razões de a indústria ser instalada em Quixadá é o fato de lá existir um polo universitário e de que a indústria irá desenvolver, com universidades locais, uma tecnologia com grafeno para uma possível geração de energia elétrica da telha a partir do sol. Outra razão da vinda da indústria foi o programa Pode ,que reuniu as condições favoráveis do setor público com o indispensável apoio do governo do Estado e da Prefeitura de Quixadá”, diz o deputado Salmito Filho, idealizador do programa.



Assuntos Relacionados