Quixadá ganhará fábrica de telhas que geram energia

Empresa carioca Telite assinou carta de intenção para implantação de nova fábrica no sertão cearense que pode ser pioneira na fabricação de telhas com grafeno

Telha grafeno
Legenda: Fábrica no Ceará pode ser pioneira na produção das telhas tecnológicas
Foto: Divulgação

A empresa carioca de produção de telhas Telite assinou, nesta semana, uma carta de intenção para a instalação de uma fábrica em Quixadá, no Sertão Central. A médio prazo, a ideia é realizar parceria com o campus da UFC na cidade para o desenvolvimento de um novo produto com tecnologia de geração de energia. 

O plano é produzir telhas acopladas a grafeno, material que possibilitará a geração de energia elétrica a partir da luz solar. Caso o projeto se concretize, será o primeiro produto do Brasil com esse tipo de tecnologia. 

Ainda não há previsão para o início das obras da nova fábrica, mas já estão sendo sondados terrenos, segundo o deputado estadual Salmito Filho, que fechou a parceria por meio do projeto Pontes de Oportunidades para o Desenvolvimento (PODE). 

A iniciativa tem previsão de criar pelo menos 50 empregos diretos na região e também deve gerar renda para catadores de lixo por meio da compra de resíduos, utilizados como matéria-prima para produção das telhas. A empresa prevê investimento de R$ 1 milhão na compra desses insumos. 

Expansão de mercado 

Conforme Salmito, a fábrica inicialmente produzirá apenas as telhas de plástico reciclado que já fazem parte do portfólio da Telite.  

“A fábrica vai ser para produzir a telha que já é produzida para o Rio de Janeiro para vender para o mercado do Norte e Nordeste a curtíssimo prazo. Mas na carta de intenção, está expressamente escrito para o desenvolvimento dessa tecnologia do grafeno”, diz. 

Quixadá chamou atenção da empresa pela vantagem competitiva de ser um polo universitário e um campus na área de tecnologia da informação.

*Colaborou Heloísa Vasconcelos