Com venda travada, Troller começará a demitir funcionários em outubro

A unidade de produção de utilitários conta com mais de 400 operários e deve funcionar até dezembro para entregar os pedidos de veículos já realizados

Legenda: Fábrica fica na cidade de Horizonte e conta com cerca de 440 operários
Foto: Thiago Gadelha

As operações da fábrica da Troller no Ceará serão encerradas, de fato, no mês de dezembro de 2021. A montadora americana Ford começará a desligar os funcionários da planta a partir do próximo mês de outubro. O processo deverá ser tocado de forma gradual e ser aplicado um setor de cada vez a partir do atendimento da demanda. 

Isso porque, apesar da previsão de que a Troller encerraria a produção de veículos ainda neste mês de setembro, a marca de utilitários cearense deverá trabalhar para atender os pedidos que já haviam sido feitos. Essa transição, considerando a última entrega e o encerramento da fábrica, deve acontecer até o final deste ano. 

A informação foi confirmada à Coluna pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Maracanaú, Nilton Pereira, que vem trabalhando em parceria com os operários e a Ford para "garantir todos os direitos" das pessoas que ainda estão trabalhando na produção da Troller. 

Ao todo, a unidade de produção de utilitários tem em torno de 440 e 450 funcionários. 

Venda barrada

O mercado cearense, os operários da Troller e o próprio Governo do Estado ainda esperavam que a Ford completasse a venda da fábrica instalada no município de Horizonte, mas essas esperanças foram frustradas nas últimas semanas. A intenção era manter os empregos abertos, gerando renda à economia local. 

Segundo Pereira, o clima entre os funcionários já é de aceitação para o encerramento das atividades. E que uma negociação de venda já está descartada. 

"A partir de outubro devem começar a fazer a homologação e desligamento do pessoal, setor por setor até dezembro. Até sair o último funcionário. Eles têm de entregar os carros que já foram pedidos, só, mas estão conscientes da situação e que a Ford vai fechar a fábrica", disse o Nilton. 

"O pessoal tentou até comprar, mas não deu certo", completou. 

Não há confirmação, no entanto, do número de carros que deverão ser entregues até dezembro.

A dificuldade relacionada à transação foi confirmada pelo secretário de desenvolvimento econômico e trabalho do Governo do Estado, Maia Júnior a esta Coluna. 

"Assunto encerrado pela Ford", disse Maia. 

Resposta da Ford

Procurada para comentar sobre o assunto, a Ford não respondeu aos questionamentos até a publicação desta matéria. 



Assuntos Relacionados