Chegou a hora! Disputas olímpicas começam nesta terça-feira (20)

Partida de softbol entre Japão e Austrália acontece às 21 horas de Brasília e dá início a Tóquio 2020

Atletas da Ginástica Artística nos icônicos aros olímpicos
Legenda: Atletas da Ginástica Artística nos icônicos aros olímpicos
Foto: Manoela Penna/COB
O que chegou a parecer totalmente inviável está prestes a acontecer. A primeira Olimpíada durante uma pandemia começa em poucas horas. A edição de Tóquio já é marco na história do esporte e agora não tem mais volta. Responsabilidades assumidas, é hora de começar a competição. Serão 339 eventos, 46 modalidades e 206 países reunidos em 17 dias de competição. 
 
O softbol é a modalidade escolhida para este início. Parte da tradição japonesa, a seleção da casa recebe a australiana, na disputa que é uma variação do beisebol, um pouco mais leve, por conta da diferença na bola, que é mais leve e maior. O campo também não é igual e tem uma dimensão reduzida. 
 
Antes mesmo da abertura, na sexta-feira (23), outras modalidades também começam as disputas, inclusive com Brasil em campo, pelo futebol. No feminino, a seleção enfrenta a China, na quarta-feira (21).
 
É o início da busca pelo tão sonhado e inédito ouro olímpico. Título que marcaria a geração que fez história na modalidade, liderada por Formiga e Marta.
 
Elas já têm duas pratas dos Jogos, das edições de 2004 e 2008. Fácil, o caminho não será. Ainda na fase de grupos, enfrentam a vice-campeã do mundo, Holanda, além da Zâmbia, para chegar às quartas de final.

Os homens jogam contra a Alemanha na quinta-feira (22). Uma reedição da última final olímpica, em que o Brasil se deu melhor e, finalmente, conquistou esse título que faltava. Defender o ouro é a missão e, na fase de grupos, a seleção enfrenta ainda Costa do Marfim e Arábia Saudita.
 
A programação brasileira segue intensa nos primeiros dias de Jogos, com esportes candidados à medalha, como vôlei, skate e surf.
 
O Brasil disputará Tóquio 2020 com a 12ª maior delegação, 302 atletas, sendo 31 já com histórico de medalhas olímpicas. Os Estados Unidos lideram com mais que o dobro, 613 competidores, e são favoritos para a liderança geral. Mas para a delegação nacional, a expectativa é de superar os 19 pódios conquistados, na Rio 2016.
 
Prédio do Time Brasil na Vila Olímpica
Legenda: Prédio do Time Brasil na Vila Olímpica
Foto: Reuters

Cenário epidemiológico preocupa 

Na semana passada, Tóquio voltou a registrar mais de mil casos de Covid por dia, maior número desde janeiro. Em estado de emergência, todo o período olímpico se dará com medidas mais restritivas, principalmente, em Tóquio. 
 
O protocolo é rígido e a testagem diária deve ajudar a controlar a proliferação do coronavírus durante as Olimpíadas. Pelo menos 64 casos de Covid-19 já foram detectados em pessoas ligadas aos Jogos, sendo três deles na vila olímpica. Thabiso Monyane e Kamohelo Mahlatsi, do futebol da África do Sul, e Ondrej Perusic, do vôlei de praia da República Tcheca
 
Pode se dizer que os Jogos que começam nesta terça-feira serão vitrine para uma tentativa de retomada e manutenção da esperança de que é possível manter acesa a chama, não apenas a olímpica, mas a da vida.