O que é bom pode ser ainda melhor: o que Vojvoda ensina sobre a vida

Quem não pensou que a 'era Ceni' era o ápice do Fortaleza? Sempre se pode melhorar

Vojvoda conversa com jogadores do Fortaleza no gramado
Legenda: Vojvoda já está na história do Fortaleza, não apenas por conquistas em campo, mas pela continuidade do sentimento de soerguimento tricolor que parecia ter ficado com Rogério Ceni
Foto: Thiago Gadelha

Quem acompanha esta coluna sabe que vez outra rola uma 'pequena' inspiração. Ela não é gratuita, nem programada. Vem conforme os acontecimentos sensibilizam este colunista. Mas me perdoem estes rompantes croniquescos. Vez ou outra são necessários.

A questão é que futebol não para de nos dar lições. E o Vojvoda... eu não vou mais falar de conquistas, de futebol, de tatiquês, de resultados. Vou falar do que este argentino transmite em termos humanos.

Como disse certa vez o diário argentino 'Olé' às vésperas do jogo entre Fortaleza X Independiente, em 2020, o Tricolor de Aço era 'La Cenicienta', ou seja, a 'Cinderela' do futebol brasileiro. O que motivou uma série de comentários rasos de alguns, mas que, em geral, era uma grande verdade.

A fada Ceni

Rogério Ceni enquanto treinador do Fortaleza e amplamente apoiado pela torcida
Legenda: Rogério Ceni enquanto treinador do Fortaleza e amplamente apoiado pela torcida
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Como num passe de mágica, o Tricolor do Pici fechava com Rogério Ceni ainda sob os pedregulhos da Série C que acabara de sair. A fada-madrinha de uma transformação (não exclusivamente tocada por ele) estava inexplicavelmente ali e deu parcela fundamental para uma alavancada 'encantada' no moral tricolor.

O filme (do futebol) todo mundo já conhece, até que chegamos no fim de 2020. Com a saída de Rogério, uma lacuna se estabeleceu, um período de dificuldades. O relógio parecia ter dado meia-noite e o encanto acabado.

Aí entra a tal lição do título deste texto. Quantas vezes na vida nós pensamos que os momentos bons são passageiros. Somos saudosos, recuperamos vídeos e fotos de situações que pareciam ser felizes e não voltam. Um estado que até paralisa, entristece, embora nos alegre por um instante.

Mas ao contrário do ditado que parece ditar as regras do mundo, "tudo pode piorar", eis que a lógica se inverteu com Vojvoda. O que já era bom, ainda seria melhor. O torcedor do Fortaleza mal sabia que ainda o esperava. Nem sabe o que ainda vem pela frente. Eu estaria otimista.

O que isso quer dizer? Tudo vai ser sempre lindo assim? Provavelmente não, já que não somos deuses. Uma hora as situações 'vojvodisticas' da vida vão embora. Mas sentar e lamentar o que passou não parece ser a melhor solução. Pensar que tudo pode sempre melhorar pode ser uma injeção para superar dificuldades.