Lucas Sasha desenha o óbvio que muita gente não vê: o lado psicológico dos jogadores de futebol

Em ótima entrevista, o meio-campista abriu o jogo sobre como o aspecto psicológico impacta no desempenho técnico

Lucas Sasha foi entrevistado no Jogada
Legenda: Lucas Sasha concedeu entrevista ao programa Jogada
Foto: TV Diário

Estamos muito acostumados a debater o futebol pelos mesmos aspectos. Conceitos táticos, desempenho técnico, preparação física, problemas de calendário, VAR, contratações etc. Mas pouco se discute um aspecto que é primordial: o lado psicológico. Nesta sexta-feira (5), o volante Lucas Sasha, do Fortaleza, desenhou o óbvio que muita gente não vê.

Em entrevista exclusiva ao programa Jogada, o meio-campista de 32 anos bateu um papo de 1 hora comigo e Denise Santiago. Falou abertamente sobre os mais diversos assuntos (entrevista completa abaixo) e, com muita clareza e desenvoltura, destacou a importância do lado mental para o desempenho de um jogador de futebol.

"Em relação ao lado psicológico e mental, é um dos pontos mais fortes no futebol. A gente tem um psicólogo que nos acompanha lá e faz um trabalho bem legal. Porque quando eu estou me sentindo confiante, quando eu estou bem da minha cabeça, parece que eu sou mais rápido, que eu consigo correr mais, que meu passe é melhor. Interfere até na parte técnica e parte tática. Você consegue pensar com mais lucidez. E da mesma maneira, quando você não está legal mentalmente, sem confiança, é tudo ao contrário. Então a parte mental é muito, muito, muito importante no futebol".
Lucas Sasha
Jogador do Fortaleza

Isso serve para qualquer pessoa em qualquer esfera da vida. Parece até algo óbvio. E é!

Só que estamos acostumados a imaginar os jogadores como robôs. Que devem entrar em campo e sempre em alto nível. Se foi mal e cometeu erros em um ou dois jogos, já é criticado. E a fala do pai do pequeno Theo, de apenas oito meses, mostra como isso vinha atrapalhando o Fortaleza.

"Tem muito o fator psicológico nisso tudo. De ir para um jogo, tomar gols nos últimos minutos, perder pontos, isso tudo vai afetando psicologicamente. Por isso que o jogo de domingo agora (contra o Internacional) é tão importante. Se a gente embalar outra vitória, a gente vai conseguir desfrutar mais dos jogos. A nossa segunda parte dos jogos sempre acaba sendo mais sofrida. E é o medo de tomar um gol, é o receio, de pensar "tem que ter os três pontos, não pode perder pontos". E isso acaba fazendo a gente recuar um pouco mais. Eu creio que, com vitórias e mais pontos, o time vai conseguir jogar mais livre, mais solto. E, consequentemente, virão melhores atuações".

Jogador também é ser humano. Também tem família, problemas domésticos, preocupações, angústias. Tudo que pode interferir no desempenho. E garantir suporte psicológico é fundamental para garantir equilíbrio.