Análise: Fortaleza mostra imposição e competitividade em merecida vitória sobre o Corinthians

Tricolor fez ótima atuação no 1º tempo e teve 2º tempo seguro defensivamente para obter importante vitória sobre o Timão

Robson celebra gol marcado contra o Corinthians
Legenda: Robson marcou o gol da vitória sobre o Corinthians
Foto: Thiago Gadelha/SVM

O Fortaleza de Juan Pablo Vojvoda, além de intenso, é extremamente competitivo. A campanha atual no Campeonato Brasileiro é um reflexo claro disso. A vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, neste domingo (11), também. O Tricolor controlou o jogo e, mesmo sem uma atuação brilhante, como a que teve na goleada por 4 a 0 sobre o América-MG, foi bem superior e mereceu o resultado.

Imposição

Vojvoda observa Sylvinho
Legenda: No duelo com Sylvinho, Vojvoda levou a melhor
Foto: Thiago Gadelha/SVM

O primeiro tempo foi, sim, excelente. Com mais posse e bola (55% x 45%), o Leão do Pici não deu chances ao adversário, finalizando três vezes mais (12 x 4) e sufocando o time paulista. O golaço de Robson trouxe justiça ao placar, mas várias outras chances criadas e desperdiçadas. A vantagem antes do intervalo poderia ser até mais dilatada.

A capacidade que o Fortaleza tem de envolver o adversário é de chamar atenção. O time toca a bola de forma consciente, há movimentações coordenadas e os jogadores sabem perfeitamente o que devem executar.

As chances de gol são bem construídas, de pé em pé. É muito legal de ver.

O Fortaleza se impôs desde o primeiro minuto e foi a equipe mais disposta a construir o resultado, mantendo o bom aproveitamento que tem em casa. Agora, são cinco vitórias e um empate em seis jogos como mandante.

Competitividade

Benevenuto divide bola com atacante do Corinthians
Legenda: Sistema defensivo do Fortaleza fez partida sólida contra o Corinthians
Foto: Thiago Gadelha / SVM

No segundo tempo, ficou nítido que o time sentiu o desgaste físico. A maratona de jogos tem sido intensa e era natural que a equipe fosse afetada. Mesmo assim, conseguiu controlar bem a partida, com segurança, e se defendeu bem. Embora o Corinthians tivesse mais posse de bola (65%), não houve nenhuma finalização sequer na direção do gol de Marcelo Boeck.

É uma prova da competitividade do time comandado pelo argentino Vojvoda. Tanto é que as melhores chances de balançar as redes foram do lado Tricolor, com ao menos duas finalizações muito perigosas de David. Ambas passaram perto da trave e foram pra fora.

Mas o destaque é que o Fortaleza sabe muito bem o que deve fazer em campo.

Já temos 11 rodadas do Campeonato Brasileiro. Quase 30%. Não é pouca coisa. E o Fortaleza está na 4ª colocação, com 21 pontos que ninguém tira mais. Não é por acaso, não.

É o reflexo justo de uma campanha muito bem construída. Há méritos para ocupar esta posição.