Análise: Fortaleza deve tirar lições de atuação com tempos distintos contra Flamengo

Tricolor teve boa postura no 2º tempo e chegou perto do empate, mas acabou amargando a derrota como consequência dos erros cometidos na 1ª etapa. Time de Vojvoda mostra poder de reação, mas paga por erros

Lucas Crispim com a bola dominada
Legenda: Lucas Crispim retornou ao time titular contra o Flamengo
Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

Uma derrota para o Flamengo, no Maracanã, está totalmente dentro da normalidade nos planos do Fortaleza na Série A do Campeonato Brasileiro. Por isso, o resultado de 2 a 1, na noite desta quarta-feira (23), em partida que marcou a despedida de Gerson do Rubro-Negro, não é de se espantar. O que chamou atenção, porém, foi como o Tricolor teve tempos distintos, com atuação irreconhecível na primeira metade do duelo.

Os 45 minutos iniciais foram de amplo domínio do time da casa. O Flamengo impôs um ritmo forte, sufocando e agredindo o tempo inteiro. Teve mais posse de bola (69% x 31%), trocou mais que o dobro de passes (271 x 126) e teve ainda mais finalizações (14 x 5), chutes no gol (4 x 1) e efetividade, com dois gols marcados, ambos por Bruno Henrique.

O mérito e a qualidade do time da casa, portanto, são inquestionáveis. Porém, o placar se construíu, também, por conta dos erros do Fortaleza.

Irreconhecível

Matheus Vargas disputa de bola com Willian Arão
Legenda: Matheus Vargas não fez bom jogo
Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

A atuação leonina na etapa inicial destoou de qualquer outra apresentação sob comando do técnico argentino Juan Pablo Vojvoda (que conheceu sua primeira derrota em 13 jogos). O Fortaleza foi irreconhecível no primeiro tempo, errando demais a saída de bola, inclusive com Felipe Alves.

As melhores chances do time da casa, aliás, foram forçando o erro do Leão do Pici. E foi num desses erros que Felipe cochilou e foi desarmado dentro da área, originando o 1º gol de Bruno Henrique.

O volante esteve em uma noite ruim, bastante apagado. Assim como Matheus Vargas. Tanto é que Vojvoda sacou os dois no intervalo, colocando Ronald e Romarinho, que entraram muito bem, sobretudo o primeiro, qualificando mais o passe no meio de campo e fazendo o time ficar mais tempo com a bola no pé.

Poder de reação

David comemora gol com jogadores do Fortaleza
Legenda: David marcou o gol do Fortaleza no jogo e teve boa atuação
Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

Um dos grandes méritos de Vojvoda no início de trabalho no Fortaleza é a capacidade de leitura de jogo. No intervalo, ele conseguiu corrigir pontos falhos no primeiro tempo e mudar totalmente a postura. Em menos de um minuto David diminuiu em bela jogada trabalhada, com movimentos coordenados, triangulação e bela finalização.

O Fortaleza teve uma postura mais parecida com o que estávamos acostumados a ver nos últimos jogos. Equilibrou as ações e chegou bem perto de empatar, até finalizando mais na direção do gol que o adversário (5 x 4).

Além de David e Ronald, Benevenuto e Ederson (que deu assistência para o gol) também apresentaram atuação destacada.

Lições

Ficam apredizados da partida. Não se pode bobear no Brasileirão, é preciso intensidade e concentração durante os 90 minutos, sobretudo em jogos contra times postulantes ao título, como o Flamengo.

A postura também precisa ser de um time intenso, vibrante e aguerrido, como foi no 2º tempo, que sabe o que quer em campo e corre atrás. Não se pode jogar apenas para se defender, e sim também atacando. Foi assim que o time conseguiu os melhores momentos na partida.

Por fim, a necessidade de reforçar o elenco também existe. Não é porque perdeu que está tudo errado e precisa fazer várias contratações, mas já era sabido antes mesmo que o elenco necessita de ajustes pontuais, o que diretoria já está tratando de fazer.