Índice de Ações Cearense encerra semestre em forte queda

Legenda: O principal índice da bolsa de valores no Brasil, o Ibovespa, apresentou queda de 5,99% no semestre.
Foto: Shutterstock

Os investidores em ações no 1º semestre não podem reclamar da falta de emoções. Os efeitos da Covid-19 ainda presentes, o conflito entre Rússia e Ucrânia, a recessão global no horizonte, inflação e juros em alta, em grande medida, influenciaram os mercados e o resultado foi performance negativa dos ativos de renda variável nos primeiros seis meses deste ano.

A elevação dos juros básicos na economia, em particular, afetou a decisão do investidor com maior intensidade, na medida em que é força-motriz de migração de recursos da renda variável para ativos de renda fixa.

RETORNO DA BOLSA NO BRASIL

O principal índice da bolsa de valores no Brasil, o Ibovespa, apresentou queda de 5,99% no semestre. A performance negativa foi generalizada, uma vez que das 91 ações negociados neste índice, apenas 33 ações registraram resultados positivos nos primeiros seis meses.

Na ótica setorial, o destaque positivo ficou para as empresas do setor elétrico, pois 10 ativos apresentaram crescimento no valor das ações.

A Cielo e a Eletrobrás foram os ativos do Ibovespa de maior alta no 1º semestre. Em outro sentido, as empresas Magazine Luiza, Meliuz, Via Varejo, Locaweb, Americanas e Embraer, foram as que apresentaram as quedas de maior intensidade, superiores a 50% no período de janeiro a junho de 2022.

EMPRESAS CEARENSES NA BOLSA

O Índice de Ações Cearense – IAC, criado pela Universidade de Fortaleza – Unifor, tem como objetivo acompanhar o desempenho médio das cotações das empresas cearenses que possuem capital aberto em bolsas de valores e ser benchmark para aplicações financeiras, como (IBOV, CDI, S&P500, Dólar, etc.).

As empresas que fazem parte do Índice de Ações Cearense são: Aeris, Arco Educação, Banco do Nordeste, Brisanet, Enel Ceará, Grendene, Hapvida, M. Dias Branco, Pague Menos.

ÍNDICE DE AÇÕES CEARENSE EM QUEDA

O IAC encerrou o semestre com forte queda de 35%. Entre as 9 empresas cearenses na bolsa de valores que compõe o índice, apenas a M. Dias Branco (+2,39%) apresentou resultado positivo no semestre. As empresas Brisanet (-64,59%), Aeris (-57,25%) e Pague Menos (-53,48%) foram as maiores quedas no período.

O cenário na bolsa é desafiador. Contudo, vale lembrar que investimentos em ações, conforme vários estudos realizados no mercado de capitais, são de melhor performance no longo prazo. Em momentos de queda, a janela de oportunidades se abre para investimentos em boas empresas e de preços atrativos.

O suporte de profissionais especializados, evidentemente, é necessário para a escolha de bons ativos, sobretudo alinhado com o perfil de riscos e objetivos do investidor.

Grande abraço e até a próxima semana!

Este texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.