Análise: Fortaleza dá primeiro passo para atingir objetivo na reta final da Série A

Time cearense iniciou com roteiro trágico, mas conquistou a virada, dominou ainda no primeiro tempo e conseguiu deixar a zona de rebaixamento na 34ª rodada do Brasileirão

Legenda: Fortaleza renovou o fôlego para o segundo tempo e criou chances de gol
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Um Fortaleza sem chance de título, mas com três finais em cinco jogos na Série A. A primeira ocorreu nesta quinta-feira (4) e foi com drama: 3 a 1 no Coritiba, na Arena Castelão, pela 34ª rodada. O respiro existiu, a saída da zona de rebaixamento também, e o time mostrou poder de reação ao buscar a virada e a maior imposição desde o início.

A situação ainda é crítica, de fato. Mas o resultado traz alívio imediato e a 14ª posição na tabela, agora com 38 pontos. Até o fim do Brasileirão: Vasco (C), Palmeiras (F), Bahia (C) e Fluminense (C).

Para além do desempenho, o resultado é a obrigação. Há pontos a melhorar, o volume está longe do ideal, mas a vitória surgiu diante do contexto da adversidade. O Fortaleza deixa a Arena Castelão fortalecido.

Estatísticas de Fortaleza x Coritiba

  • Posse: 53% x 47%
  • Finalizações: 16 x 5
  • Passes: 402 x 345
  • Escanteios: 4 x 4
  • Desarme: 11 x 10

Redenção iluminada

David corre de braços abertos comemorando gol marcado pelo Fortaleza
Legenda: David marcou um dos gols do Fortaleza contra o Bahia, na fase de grupos
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O roteiro foi trágico no início. No jogo da tensão, o Fortaleza construiu a história no dificuldade e se complicou até os 26 do primeiro tempo, quando Ricardo Oliveira abriu o placar - em lance finalizado após uma linha de impedimento errada e a checagem do árbitro de vídeo (VAR).

Antes, chances perdidas e uma substituição forçada: Igor Torres na vaga de Osvaldo. O baixo nível técnico do Coritiba é nítido, a equipe trabalha com lentidão e, por vezes, parece ineficiente em muitos aspectos, mesmo assim o Leão trouxe a dúvida ao ser vazado.

O time produziu mais oportunidades pela própria vocação defensiva dos visitantes. E não deve se contentar: teve poucos momentos de lucidez. O alento está na sinergia empregada desde o começo: havia entrega, o plantel lutou em busca do resultado, mesmo errando.

A premiação ocorreu como um vulto. No cenário improvável, gols em dois minutos - ambos com participação de David, que tanto desperdiçou. A chegada do intervalo foi com placar favorável: 2 a 1.

Força mental

Legenda: Wellington Paulista marcou no segundo tempo e ainda desperdiçou duas cobranças de pênalti no fim
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Do panorama de jogo, o trunfo não está presente necessariamente no campo, mas no psicológico. O Fortaleza sempre pareceu desmoronar com o placar adverso ao longo da temporada. Por isso buscou esse trabalho extracampo - com coach e motivação. 

A virada na Arena Castelão, por exemplo, foi apenas a 3ª na temporada de 2020. Antes, marcas obtidas no Campeonato Cearense (4x1 no Barbalha) e na Copa do Nordeste (3x1 no América-RN).

O aspecto é capítulo desse jogo pelo controle, mesmo tênue. Houve administração do resultado, paciência na chegada ao ataque e, com fôlego renovado, foi possível ainda ampliar através de Wellington Paulista no oportunismo: 3 a 1. 

Em si, o resultado não foi mais expressivo porque o mesmo centroavante desperdiçou duas cobranças seguidas, com defesas do goleiro Wilson, expulso em seguida, e do meia Sarrafiore, improvisado na função com a saída do arqueiro.

Solução caseira

Legenda: Luiz Henrique participou bastante da partida, conseguindo assistência para David
Foto: Thiago Gadelha / SVM

No escopo geral, a presença de Luiz Henrique foi marcante. O meia está no Fortaleza desde 20 de janeiro de 2020 e teve oportunidade de atuar na criação uma única vez, justamente agora.

Pelo apresentado no retrospecto das atuações, conseguiu desempenhar a função e conseguiu uma assistência, além de dois passes precisos. Pode ser uma solução no futuro tricolor.

Ficha técnica

Fortaleza 3x1 Coritiba

Competição: 34ª rodada da Série A

Data: 04/02/2020

Horário: 18h30

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)

Arbitragem: Anderson Daronco (RS)

Gols: Ricardo Oliveira aos 26´/1º T (0-1); Nathan Silva, contra, aos 42´/1º T (1-1); David aos 43´/1º T (2-1) e Wellington Paulista aos 38´/2º T (3-1)

Cartões amarelos: Paulão (F), Felipe (F), Sarrafiore (C), Rafinha (C), Rhodolfo (C), Osman (C) e Wilson (C)

Cartão vermelho: Wilson (C) e Rhodolfo (C)

Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias (Tinga), Quintero (Wanderson), Paulão e Bruno Melo; Felipe, Juninho e Luiz Henrique (Vázquez); David (Carlinhos), Osvaldo (Igor Torres) e Wellington Paulista. Técnico: Luis Fernando Flores.

Coritiba: Wilson; Nathan Ribeiro, Rhodolfo e Hugo Moura; Mattheus, Nathan Silva (Sarrafiore), Galdezani (Matheus Bueno), Yan Sasse (Luiz Henrique), Rafinha e Cerutti (Nathan); Ricardo Oliveira. Técnico: Gustavo Morínigo.