Análise: Ceará sofre gol no fim e empata com o Fluminense no Maracanã

Vovô vencia até os 45 do 2º tempo, mas sofreu gol, deixando a vitória escapar, em uma partida em que foi melhor em grande parte do jogo, com mais posse de bola e controlando o rival. Mas não matou o jogo e foi castigado no fim

Legenda: Vina fez gol pelo Ceará contra o Fluminense, mas não o suficiente para o Vovô sair vitorioso
Foto: Maga Jr/O Fotográfico/Estadão Conteúdo

Em um campeonato tão difícil quanto a Série A do Brasileiro, não se pode desperdiçar a chance de vencer. Se cada ponto é precioso, o que dirá os três de uma vitória? Por isso, o empate em 2 a 2 do Ceará, ontem, com o Fluminense, tem que ser lamentado, embora tenha sido fora de casa, no Maracanã. Afinal, o Vovô jogou bem, virou com autoridade, mas não foi maduro mais uma vez, sofrendo um gol aos 45 minutos do 2º tempo.

Por isso, a sensação não é de um ponto somado, e sim, de dois pontos jogados fora. Ainda mais não sendo a 1ª vez que isso acontece. Contra o Goiás, na Arena Castelão, o time sofreu gol nos acréscimos e amargou o empate, assim como na final do Campeonato Cearense, ao sofrer um gol que decretou a derrota para o Fortaleza, no jogo de ida.

São pecados que o Ceará vai acumulando e dificultando uma caminhada de um time que mostra bom futebol, tem bons momentos, mas tem sucumbido em instantes cruciais. Ontem, contra o Flu, foi mais um destes.

A equipe dirigida por Alexandre Faganello - Guto Ferreira estava suspenso e não comandou o time - demorou para se acertar em campo, sofrendo um gol cedo, aos 12 minutos. Mas, a partir daí, dominou o jogo a ponto de ter vencido por mais gols se, ao virar, não tivesse desperdiçado generosos contra-ataques.

Após o gol sofrido com méritos do Fluminense, em grande jogada, o Ceará se acalmou, colocou a bola no chão, teve mais posse e jogou melhor, criando as melhores chances a partir daí. Até que, aos 41 minutos, o Vozão empatou com um gol contra de Hudson, após Charles testar de cabeça.

E, por pouco, o Ceará não virou ainda no 1º tempo, em tentativa de Léo Chú, um dos melhores em campo pelo Vovô.

Para a etapa final, o Ceará voltou com o controle total do jogo, criando mais três chances para virar, duas com Léo Chú e um com Vina. O domínio resultou na virada aos 32 minutos: Digão, zagueiro do Fluminense, saiu jogando errado e Vina, esperto, tomou a bola, driblou o goleiro Muriel e virou o jogo: 2 a 1.

Não segurou

A virada era justa e o Ceará continuou ofensivo, com as entradas de Lima e Leandro Carvalho. O time jogou para fazer o 3º, mas ao desperdiçar generosos contra-ataques, foi castigado. Em um deles, Danilo Barcelos finalizou para empatar.

No fim, um resultado injusto, mas que liga o sinal de alerta pelos pontos que tem deixado pelo caminho e o mantendo no meio da tabela. Sem tempo para respirar, o Vovô terá, na quarta-feira (21), mais uma missão difícil: vencer o rival Fortaleza por dois gols de diferença para ser campeão cearense.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte