Cantora Marília Mendonça morreu de politraumatismo em queda de avião, afirma legista de Caratinga

O médico legista do Posto Médico Legal de Caratinga (MG), Pedro Coelho, falou sobre o assunto ao G1

Cantora Marília Mendonça
Legenda: O documento que deve apontar a causa da morte da cantora e das outras vítimas ainda será finalizado
Foto: reprodução/Instagram

A provável causa da morte de Marília Mendonça e outras quatro pessoas deve ser definida como politraumatismo contuso, segundo informou o médico legista do Posto Médico Legal de Caratinga (MG), Pedro Coelho, ao portal G1. As cinco vítimas faleceram em um acidente aéreo na cidade de Piedade de Caratinga, em Minas Gerais, na última sexta-feira (5).

A conclusão do laudo, então, deve revelar que várias lesões em órgãos vitais foram encontradas nas vítimas. Assim, acredita-se que as mortes tenham ocorrido de forma instantânea.

Entretanto, o médico legista revela que é preciso aguardar os exames toxicológico e de alcoolemia, realizados de forma complementar, para emitir o resultado oficial do laudo.

A previsão é de que o documento seja emitido em até 20 dias, repassando as informações à Polícia Civil e ao Instituto Médico Legal em Belo Horizonte. Análises neurológicas e cardíacas do piloto, Geraldo Medeiros, e do copiloto, Tarciso Pessoa Viana, também estão sendo realizadas.

"É preciso descartar ou confirmar, por exemplo, se o piloto ou copiloto passaram mal durante o voo, se tiveram ou não um mal súbito", afirmou Pedro Coelho ao G1. 

O politraumatismo se caracteriza em situações onde existe lesão grave de pelo menos dois órgãos ou outras duas partes do corpo. Elas podem ter sido causadas por forças externas de natureza física ou química.

Morte de Marília Mendonça 

A cantora sertaneja Marília Mendonça morreu, aos 26 anos, após sofrer acidente aéreo na tarde da última sexta-feira (5). A aeronave em que a artista estava caiu em uma área próxima à serra da cidade de Piedade de Caratinga, no interior de Minas Gerais, com cinco pessoas a bordo. Todos os que estavam embarcados morreram.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, investiga a queda do veículo aéreo, que havia decolado de Goiânia mais cedo no mesmo dia.

Até o momento, o que se sabe por testemunhas e pela perícia preliminar é que o avião teria se chocado contra o cabo de transmissão de energia e perdido um dos motores, ficando descontrolado após o choque. Ainda não se sabe, no entanto, porque o bimotor voava em altitude mais baixa que a necessária para transpor o obstáculo.

Quero receber conteúdos exclusivos do É Hit