Em fase de testes, plataforma do metaverso de Zuckerberg registra primeiro caso de assédio

Voluntária dos testes na plataforma reportou a fóruns que teve o avatar "apalpado" por um desconhecido

imagem de avatares durante testes na plataforma do metaverso
Legenda: A plataforma do metaverso foi liberada para voluntários, que podem visitar praças públicas, conversas e eventos

Ampliando os testes com o público, a empresa Meta - novo nome da empresa dona de marcas como Facebook, WhatsApp e Instagram - registrou o primeiro caso de assédio na plataforma social de realidade virtual Horizon Worlds

A plataforma do metaverso foi liberada para milhares de voluntários nos Estados Unidos e Canadá, que tiveram a chance de visitar praças públicas, participar de brincadeiras, conversas e eventos. 

Conforme o The Verge, uma voluntária, que não teve o nome divulgado, reportou nos fóruns do Horizon Worlds ter sofrido abuso em praça digital, tendo o avatar "apalpado" por um desconhecido. As informações são do TecMundo

"Assédio sexual não é brincadeira na internet normal, mas estar em Realidade Virtual adiciona toda uma nova camada que faz o evento ficar ainda mais intenso", frisou a vítima. O incidente aconteceu no Plaza, o principal ambiente público do Horizon Worlds.

A voluntária ainda mencionou que várias pessoas ao redor do avatar "apoiaram o comportamento" do abusador e não prestaram ajuda.

imagem da plataforma etaverso da empresa tem espaços de socialização e divertimento
Legenda: Metaverso da empresa tem espaços de divertimento, socialização e até para reuniões virtuais
Foto: Reprodução

Fora da zona de segurança

Vice-presidente do projeto, Vivek Sharma classificou o episódio como "absolutamente infeliz". E ainda garantiu, em entrevista ao The Verge, que a Meta já analisou o caso.

Sharma também atribuiu parte da culpa à participante. Segundo ele, em nenhum momento ela chegou a utilizar os mecanismos de segurança do metaverso, da chamada Safe Zone ("Zona Segura").

Ao abrir um menu especial, o usuário pode criar uma "bolha" em seu avatar e escolher a opção de ficar isolado, colocar pessoas ao redor no mudo ou em modo de bloqueio, e realizar denúncia.

A companhia reconheceu a importância da denúncia, que poderá ser utilizada para facilitar a abertura do modo de segurança em versões futuras, tornando-a mais intuitiva.

Metaverso

Faz parte do plano do presidente-executivo da Meta, Mark Zuckerberg, explorar as possibilidades do metaverso.

Ainda em fase de desenvolvimento, o metaverso é um ambiente digital que deve funcionar como uma plataforma híbrida das experiências sociais online atuais, misturando os mundos físico e virtual. Nela, as pessoas interagem por meio de avatares.