Forte chuva no Rio de Janeiro deixa mortos e desaparecidos em deslizamento

Angra dos Reis recebeu a maior chuva da história

Choveu quase 600 milímetros na Ilha Grande
Legenda: Choveu quase 600 milímetros na Ilha Grande
Foto: Prefeitura de Angra/Divulgação

O litoral fluminense sofre com uma forte chuva desde a noite de quinta-feira (31). O temporal, que se estendeu até a madrugada deste sábado (2), deixou nove pessoas mortas no Rio de Janeiro. As informações são do G1.

Ao menos uma pessoa morreu, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Outras seis pessoas foram encontradas sem vida após um deslizamento de terra em Paraty, na Costa Verde Fluminense. A nona vítima foi uma criança em Angra dos Reis.

Assista:

Há ainda 13 desaparecidos após deslizamento de terra em Angra dos Reis. O Corpo de Bombeiros seguia fazendo buscas neste sábado (2).

Angra dos Reis registra a maior chuva da história do município

Em Angra dos Reis, trecho da BR-101 chegou a ficar obstruída por lama
Legenda: Em Angra dos Reis, trecho da BR-101 chegou a ficar obstruída por lama
Foto: Prefeitura de Angra/Divulgação

Nas últimas 48 horas, Angra dos Reis atingiu o volume equivalente a 655 mm no continente, e 592 mm na Ilha Grande, índices jamais registrados anteriormente no município.

De acordo com comunicado da Prefeitura de Angra dos Reis, no momento, todo o contingente da Defesa Civil, acompanhado de profissionais de diferentes áreas do governo municipal, encontra-se nas ruas, para prestar apoio à população.

Todas as sirenes do sistema de alerta — 28 sirenes, distribuídas em 20 blocos, que abrangem as áreas de risco — soaram durante a madrugada, para alertar moradores sobre a possibilidade de deslizamentos e alagamentos.

No bairro Monsuaba, onde foram registrados 655 mm de chuva em 48h, pelo menos quatro residências foram atingidas por deslizamentos de terra. A Defesa Civil foi acionada e cinco pessoas foram resgatadas. Outras onze, de acordo com o relato de parentes, estão desaparecidas.

A Prefeitura está disponibilizando abrigos para as pessoas que precisam deixar suas casas. No momento, 13 pessoas encontram-se em abrigos, localizados em unidades da rede municipal, recebendo apoio da secretaria de Educação e da Assistência Social.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil