Filha de Zé do Caixão denuncia médicos da Prevent Senior por conduta irregular no tratamento do pai

Cineasta morreu em fevereiro deste ano, aos 83 anos, vítima de uma broncopneumonia

Zé do Caixão
Legenda: Filha de Zé do Caixão denuncia médicos da Prevent Senior pelo atendimento prestado ao pai antes de morrer
Foto: Flávio Florido/Folhapress

A filha do cineasta José Mojica, também conhecido como Zé do Caixão, denunciou dois médicos da Prevent Senior pelo atendimento prestado ao pai antes de morrer, em fevereiro deste ano, no Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. Mojica faleceu vítima de uma broncopneumonia. As informações são do G1.

“A minha denúncia é contra dois médicos, um que tirou ele da semi-UTI quando ele estava estabilizado, grave, mas estabilizado, e mandou pro quarto e um médico que vendo o meu pai com a saturação despencando no quarto, não deu o atendimento imediato e ficou tentando nos convencer a deixá-lo morrer”, afirmou Liz Marins em entrevista à GloboNews.

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) disse que só apura denúncias quando é formalmente acionado, o que não teria ocorrido no caso dos médicos citados.

Por nota, a Prevent Senior negou ter ocorrido irregularidades no tratamento do cineasta.

"Os prontuários do paciente demonstram que todos os investimentos possíveis foram realizados no tratamento do Sr. Mojica. Os detalhes dos prontuários não podem ser divulgados por razões legais, mas é possível afirmar que o paciente tinha uma série de comorbidades que agravaram seu quadro de saúde ao longo dos anos".

Investigação

A empresa é investigada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado pela realização de pesquisas médicas sem consentimento dos pacientes e a utilização de medicamentos para o tratamento precoce contra o coronavírus, mesmo sem eficácia comprovada.

Mojica teve uma broncopneumonia pulmonar no dia 25 de janeiro de 2020 e foi internado. Dez dias depois da internação, no dia 5 de fevereiro, foi para uma sessão de hemodiálise e passou mal.

No prontuário médico, impresso por volta das 12h, consta que ele estava com desconforto respiratório, evoluiu com taquicardia, tendência a hipotensão (pressão baixa), taquipneia, respiração acelerada, e ainda queda de saturação, a oxigenação no sangue. Por isso, Mojica foi transferido do quarto para observação na semi-uti.

Durante toda a internação, segundo Liz Marins, a equipe médica reforçava que o estado de saúde dele era grave e oferecia cuidados paliativos, mas a família não aceitou e pediu que os médicos interviessem em todas as situações.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil

Assuntos Relacionados