Bombeiros ficam soterrados após gruta desmoronar em Altinópolis, em São Paulo

Ao todo, 10 pessoas foram soterradas. Nove pessoas morreram e só uma sobreviveu

Foto da gruta
Legenda: O acidente ocorreu em um local conhecido como Gruta Duas Bocas, em São Paulo
Foto: Divulgação

O desmoronamento parcial da Gruta Duas Bocas, na zona rural de Altinópolis, em São Paulo, deixou 10 bombeiros que estavam em treinamento soterrados na madrugada deste domingo (31). Por volta das 19h de hoje, foram confirmadas 9 mortes. Apenas uma pessoa sobreviveu. As informações são do G1.

A área fica em uma propriedade particular. Conforme o Corpo de Bombeiros, a vítima retirada com vida foi levada a uma unidade de saúde.

Bombeiros de SP em atendimento a vítimas de desabamento de gruta
Legenda: Corpo de Bombeiros indicou que 18 pessoas que estavam no local não foram atingidas pelo acidente
Foto: divulgação/Corpo de Bombeiros

Segundo a publicação, inicialmente foram soterradas 12 pessoas, conforme o Corpo de Bombeiros. Mais tarde, porém, o número foi atualizado para 10.

Segundo a Corporação, 28 bombeiros civis realizavam treinamento no local quando o teto da gruta desabou. Uma equipe de 75 bombeiros em 20 viaturas realizou o resgate.

Conforme o portal UOL, o tenente Ederson Martins Revelli, do Corpo de Bombeiros, afirmou à GloboNews que há riscos de novos desabamentos na gruta, em razão da chuva no local

Buscas

Carros dos bombeiros
Foto: Divulgação

Segundo o G1, o helicóptero Águia, da Polícia Militar, auxilia no transporte de bombeiros e socorristas até a gruta devido ao difícil acesso.

A Prefeitura de Altinópolis informou que equipes da Polícia Militar e da própria prefeitura estão no local para o resgate.

Curso de treinamento

Conforme Sebastião Abreu, dono da empresa Real Life, que ministrava o treinamento, o curso serviria para que os participantes aprendessem técnicas de busca e resgate de pessoas em cavernas.

"Quem organizou foi o pessoal de Batatais. A gente faz esse tipo de treinamento, são cerca de quatro ou cinco por ano. Tinha quatro instrutores aqui, dois de Batatais e dois de Ribeirão Preto", disse ao portal G1. Ele, contudo, não soube informar se havia autorização para o treinamento no local — a documentação será verificada pela companhia.

Na perspectiva do empresário, porém, os instrutores deveriam ter adiado a atividade devido à chuva forte que banha a localidade desde a tarde do sábado (30). "Tem que haver uma análise de risco. Você vem ao local, faz a análise de risco. Se houver condição de realizar o treinamento, você faz. Senão você remarca outro dia e faz o treinamento para ter todas as precauções", analisa.

A Defesa Civil de Altinópolis e o Corpo de Bombeiros disseram que não foram comunicados sobre a atividade na gruta.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil