Gastronomia funcional e seus benefícios

Chef Lidiane Barbosa detalha os conceitos desse ramo da gastronomia, que comprovadamente pode nos trazer mais saúde.

gastro1
Foto: Banco de Imagens

Aliar o sabor à saúde é a principal atribuição da gastronomia funcional, que reúne um conjunto de técnicas de escolha e preparo de alimentos com foco na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Para entender melhor esse conceito e de que forma ocorre sua aplicação no dia a dia, entrevistamos a chef funcional Lidiane Barbosa, que já tem mais de 400 cursos e palestras, 80 cidades e mais de 40 mil alunos em seu trabalho de difundir a ideia de uma alimentação gostosa e, acima de tudo, saudável.

gastro2

Sabor e saúde
Em 2002, Lidiane Barbosa (foto acima) resolveu dar novos rumos à vida profissional: trocou uma especialização com foco na carreira jurídica pelo curso de técnicas em gastronomia na Escola de Restauració I Hostalatge, de Barcelona (Espanha). No entanto, a grande virada veio a seguir, quando ela se interessou pela gastronomia funcional e decidiu fazer pós-graduação e outras especializações na área. A paixão se tornou missão de vida. “Eu investi na gastronomia funcional pois sempre quis levar outras chances e possibilidades para as pessoas por meio da alimentação saudável”, diz a chef, que, entre outras qualificações, estudou em renomadas instituições gastronômicas, como a Le Cordon Bleu, de Paris, a Escola Jamie Oliver, em Londres, o Natural Gourmet Institute, de Nova York, e a Matthew Kenney Culinary School, em Venice Beach, na Califórnia (essas últimas nos Estados Unidos).

De acordo com a classificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alimentos ou ingredientes funcionais são aqueles que, além das funções nutricionais básicas, produzem efeitos benéficos à saúde, devendo serem seguros para o consumo sem supervisão médica.

A gastronomia funcional é a junção da gastronomia e seu cuidado no preparo de alimentos com a nutrição funcional, que diz respeito à alimentação saudável e que respeita as particularidades de cada pessoa. O objetivo da gastronomia funcional é promover uma alimentação que promova a saúde e o bem-estar do organismo a longo prazo.

Nesta entrevista ao Diário do Nordeste, a chef Lidiane Barbosa detalha mais os conceitos da gastronomia funcional e explica como utilizá-los no dia a dia. 

Diário do Nordeste: O que é a gastronomia funcional? Quais são os fundamentos da gastronomia funcional? 
Lidiane Barbosa: A gastronomia funcional trabalha com a combinação de alimentos, a forma de cocção correta e a periodicidade. 

De que forma a gastronomia funcional pode ajudar as pessoas a ter mais saúde?
Todos os dias temos pelo menos três chances de nos alimentarmos corretamente. Se soubermos preparar corretamente e tornar os nutrientes desses alimentos mais biodisponíveis, estamos, com certeza, contribuindo para a nossa saúde.

De que forma as pessoas podem adotar a gastronomia funcional no dia a dia?
Parece complexo no começo, mas depois que aprendemos e entendemos, torna-se algo fácil e que acabamos fazendo sem pensar. Por exemplo: alimentos que contêm licopeno, como o tomate, são mais interessantes se comermos quando passam por algum processo de cocção, ou seja, um molho de tomate tem seus nutrientes mais biodisponíveis quando aquecido. Já o alho e a cebola são mais interessantes serem consumidos mais crus.

Na rotina, muitas vezes as pessoas negligenciam a qualidade da alimentação que consomem; que consequências isso pode trazer? 
As consequências nós conseguimos observar nas pesquisas cada vez mais alarmantes sobre a saúde dos brasileiros que optam por comer alimentos prontos e ultraprocessados e o grande aumento das doenças crônicas, como obesidade e hipertensão; e do outro lado da ponta, a crescente desnutrição. Muitas vezes não paramos para pensar nisso, mas uma pessoa obesa pode estar desnutrida.

gastro3

Podemos dizer que há coisas que as pessoas não devem consumir, que são comprovadamente prejudiciais à qualidade da alimentação?
Sim, podemos constatar isso diante do estilo de vida da população, ligado com a má alimentação e ao sedentarismo.Infelizmente nossas crianças por exemplo, estão cada vez menos interagindo com brincadeiras ligadas às atividades físicas, assim como o grande aumento do consumo de alimentos prontos. Tudo isso está cada vez mais adoecendo a população. 

De que forma você leva os conceitos da gastronomia funcional para o público?
Sou ativista social e Presidente da ONG que executa o Projeto Social Crescer e Semear nas escolas públicas do país, cujo intuito é levar educação alimentar e educação nutricional para crianças, pais e responsáveis e também às cozinheiras da merenda. Procuro levar um novo olhar para o alimento, novos sabores e possibilidades. Também faço consultoria em restaurantes, pousadas, indústrias e palestras em congressos e eventos em diversas áreas da gastronomia e da gastronomia voltada para a saúde.

Dicas
Conheça algumas dicas da gastronomia funcional para tornar a sua alimentação comprovadamente mais saudável:
. troque a farinha branca de trigo (cheia de glúten e bastante refinada) por outras farinhas, como a de coco, de amêndoas, de linhaça, entre outras;
. deixe de lado o açúcar branco pelo açúcar de coco ou o mel. Outra troca muito saudável é a do leite comum pelo leite de amêndoas ou de castanha;
. armazene frutas e vegetais sob refrigeração para reduzir a destruição enzimática ou oxidativa dos fotoquímicos;
. escolha frutas e vegetais da época, colhidos completamente maduros; 
. dê preferência a alimentos orgânicos, preparados crus, assados ou no vapor, evitando longos períodos de fervura.

Saiba mais:
@lidi_barbosa
@cresceresemear
atendimento@lidianebarbosa.com.br