Chuvas torrenciais deixam seis mortos e provocam caos no Rio de Janeiro

Prefeito Marcelo Crivella decreto luto oficial de três dias na cidade

As chuvas torrenciais que atingiram o Rio de Janeiro na noite de quarta-feira (6), com ventos de até 110 km por hora, deixaram ao menos seis mortos, informou o prefeito da cidade, Marcelo Crivella, que decretou três dias de luto.

Crivella informou ainda que a cidade permanece em "estágio de crise".

O balanço oficial, que pela manhã era de cinco mortos, aumentou depois que os bombeiros confirmaram a descoberta de um segundo corpo dentro de um ônibus que foi arrastado e parcialmente soterrado por um deslizamento na Avenida Niemeyer, que liga os bairros do Leblon e de São Conrado, na zona sul.

"Temos várias áreas de risco em nossa cidade. O solo está encharcado, então pode haver deslizamentos e quedas de se as chuvas continuarem. Peço às pessoas que não fiquem nesses lugares", afirmou o prefeito Marcelo Crivella na manhã desta quinta-feira.

A Prefeitura registrou 170 árvores caídas, que em muitos casos bloquearam o trânsito.

Uma parte da ciclovia Tim Maia, construída à beira-mar para os Jogos Olímpicos de 2016, também se rompeu, sem deixar vítimas. A via já estava em grande parte bloqueada pelo desabamento em abril de 2016.

Você tem interesse em receber mais conteúdo do Brasil?

Assuntos Relacionados