Paisagem cearense no futebol nordestino

Confira a coluna desta terça-feira (4) do comentarista Wilton Bezerra

Atletas de Ceará e Fortaleza disputam bola
Legenda: Ceará e Fortaleza são os únicos representantes do Nordeste na Série A de 2022
Foto: Kid Júnior / SVM

Até chegar ao Campeonato Brasileiro, em que serão os únicos representantes do futebol nordestino, Ceará e Fortaleza terão que enfrentar o sol de outras competições.

Estadual e Copa do Nordeste ,para "tomar chegada" e, aí, bem mais depois, Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores.

Embora atraente, pelo valor das competições, esse calendário não deixa de ser indecente, pelo desgaste à vista.

Saneados financeiramente, profissionalizados e com planejamento estratégico, alvinegros e tricolores criaram uma inteligência de times médios.

Os dois estão consolidados na elite. Assim como na vida, o futebol dá muitas voltas.

Não será com excesso de certezas que as posições alcançadas estarão mantidas.

No futebol de hoje, não há mais paciência para derrotas e comportamento irregular.

Virou um jogo de vida e morte, onde o sucesso tem que ser obtido a qualquer custo.

Além de manter os seus melhores valores de elenco, os times precisam cortar o excedente, como em uma poda de árvore.

Da prancheta para o campo, a palavra vai ficar com Tiago Nunes e Vojvoda. Esquemas com alternâncias táticas, base sólida na troca de passes e uma bem estruturada opção para contra-golpes, em certas ocasiões. Diversidade tática obrigatória.

O sistema de jogo só perde em importância para sua fiel aplicação, seja ele qual for.

De resto é se preparar emocionalmente para os períodos de trepidações de uma longa campanha.

"Sebo nas canelas" que a caminhada é longa.