Falha individual e má sorte derrotaram o Ceará

Confira coluna deste domingo (6) do comentarista Wilton Bezerra

Atletas de Ceará e Santos disputam bola
Legenda: O Santos conseguiu dois gols no 2º tempo do confronto com o Ceará
Foto: divulgação / Santos

Guto Ferreira escalou dois volantes, dois meias formuladores e uma dupla de ataque “ruim de tabela”.

Tentou pressionar o Santos no seu campo  (jogadores se empenharam), mas só conseguiu isso nos primeiros minutos porque a equipe do Fernando Diniz é jovem, toca bem a bola em velocidade e conseguiu melhor movimento de jogo.

O Santos perdeu uma penalidade com Marinho, marcou um golaço através de Jean Mota, quase marca com Pirani e cedeu o empate nos acréscimos do primeiro tempo.

No segundo tempo, subiu suas linhas e, ao contar com falha individual do zagueiro Messias do Ceará, desempatou o jogo aos dezoito minutos.

Assinalou o terceiro gol nove minutos depois em bola cabeceada por Kaio Jorge e desviada por Messias, deslocando Richard.

E olha que o zagueiro mineiro cometeu um pênalti esquisito no tempo inicial (perdido por Marinho), ao mergulhar de cabeça numa bola quase rente com o chão e tocado a bola com a mão.

Com falha e falta de sorte nesse volume não tem jogador e time que se sustentem, embora o Santos tenha merecido a vitória.

A cada gol tomado o Ceará foi se apressando e fragilizando-se.

Certamente a mais infeliz partida que o bom jogador Messias realizou em sua carreira.

O Ceará acabou  pagando caro,

Acontece.