Prefeito de Caucaia, Vitor Valim diz ser "estranho tirar de Izolda o direito à reeleição"

Valim é gestor do segundo maior colégio eleitoral do Ceará

Legenda: Valim se desfiliou do Pros, partido de oposição, e se aproximou de Camilo Santana
Foto: Fabiane de Paula

Eleito prefeito de Caucaia na esteira da oposição ligada a Capitão Wagner (UB), em 2020, Vitor Valim (Sem Partido) declarou, nesta terça-feira (5), apoio à reeleição da governadora Izolda Cela (PDT).

"Me estranha, realmente, uma governadora, professora, que já mostrou o seu trabalho como secretária municipal, secretária estadual e vice-governadora, ser tirado dela o direito à reeleição", declarou o prefeito do segundo maior colégio eleitoral do Ceará.

O gestor, que se aproximou do então governador Camilo Santana nos últimos meses, anunciou diversas parcerias com o Palácio da Abolição para projetos no município. "Tenho que ser grato a quem ajuda o nosso município", declarou.

Para Valim, "nada mais natural que uma mulher, nesse mundo tão masculino da política, esta mulher, esta professora, esta governadora ter direito à sua reeleição".

O prefeito prometeu empenho e apoio pela reeleição de Izolda. "Tenho dado todo o apoio e todo o meu empenho para que esse projeto que vem desenvolvendo o nosso Estado do Ceará possa ficar à frente a nossa governadora Izolda Cela", concluiu.

Bastidores

O que se conta nos bastidores é que Valim prometeu apoio à reeleição de Izolda por ter um compromisso político com Camilo Santana (PT), e que a postura será diferente caso a candidatura do PDT ao Palácio da Abolição seja liderada pelo ex-prefeito Roberto Cláudio.

O principal motivo é que Valim, enquanto vereador de Fortaleza, fez oposição ao prefeito da Capital. Não seria coerente, portanto, adotar um novo discurso nesse momento. 

Quem está de olho nessa movimentação é Capitão Wagner (UB), pré-candidato a governador. O principal líder da oposição ainda não jogou a toalha em relação ao apoio de Valim.

Caso o PDT bata o martelo e banque o nome do ex-prefeito de Fortaleza, crescem as chances de a máquina do segundo maior colégio eleitoral do Ceará cair no colo da oposição.



Assuntos Relacionados