Após ser chamado de 'pinotralha', Eunício perde processo contra Ciro na Justiça

Ao longo dos últimos anos, foram quase 40 ações entre os dois

Legenda: Ex-aliados agora se confrontam na justiça
Foto: Reprodução

O pré-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) venceu ação judicial contra o ex-senador Eunício Oliveira (MDB), nessa quarta-feira (4), em processo por danos morais motivado por ataques do ex-governador na campanha eleitoral de 2014.

Durante a inauguração de um comitê da candidatura de Camilo Santana ao Governo do Estado, Ciro teria chamado o então senador de "aventureiro", "lambanceiro", "mentiroso" e "pinotralha".

Em 2014, Eunício havia desembarcado da base aliada no Ceará para disputar a chefia do Palácio da Abolição. Era um momento de duros embates na campanha local entre ex-aliados.

Eu não respondo pelo Camilo. Respondo unicamente por mim e vou falar o que penso. O que está em jogo é entregar o governo a um aventureiro, lambaceiro e mentiroso. Não podemos entregar o governo a alguém que quer usar o espaço para enriquecer ainda mais. Daquele outro lado tem uma mistura de pinóquio com irmão metralha. Um petralha. Um pinotralha
Ciro Gomes (PDT)
Pré-candidato à presidência da República

Eunício acionou a Justiça e pediu indenização por danos morais pelos ataques recebidos do ex-ministro. Nessa quarta, o juiz Cid Peixoto do Amaral Neto decidiu arquivar a ação, entendendo não haver provas suficientes das declarações de Ciro.

Segundo o magistrado, não há áudio ou vídeo que comprove as críticas de Ciro ao emedebista. As testemunhas ouvidas no processo também não foram suficientes para provar a existência dos ataques narrados por Eunício.

"No caso concreto, a mera degravação das falas supostamente proferidas pelo réu, desacompanhadas de cópia de mídia em áudio ou vídeo que efetivamente comprovem que foram emitidas pelo demandado, não constitui prova suficiente do alegado. A prova testemunhal produzida no curso da instrução também não foi suficiente para comprovar os fatos narrados na inicial", diz Amaral Neto.

Rivalidade

Desde que o ex-senador Eunício desembarcou do grupo governista, em 2014, uma série de ações judiciais têm sido impetradas pelo emedebista contra Ciro Gomes. A maioria exigindo multa por danos morais.

Ao longo dos últimos anos foram quase 40 ações entre os dois. Boa parte delas ainda segue tramitando judicialmente.

Nas últimas decisões de outros processos em favor de Ciro, no fim do ano passado, os magistrados também argumentaram a ausência de provas e a falta da comprovação nos autos do impacto moral na figura do ex-senador do MDB que necessitasse uma reparação jurídica.