Adail Junior e José Guimarães seguem jogando lenha na fogueira no dilema PT x PDT

Os parlamentares falam publicamente na possibilidade de rompimento da aliança

Legenda: Petista e pedetista têm alimentado publicamente a divergência entre os dois partidos
Foto: Câmara dos Deputados/Câmara Municipal de Fortaleza

Não suficiente a crise já enfrentada entre setores do PT e o PDT, por conta da indefinição de candidatura ao Governo do Ceará, o deputado federal José Guimarães (PT) e o vereador de Fortaleza, Adail Júnior (PDT), seguem alimentando publicamente a divergência.

Na Câmara Municipal, nesta semana, o vereador chegou a declarar que os petistas estão preocupados com os cargos do Governo do Estado, e não com a aliança com os pedetistas.

"Como é que nós somos aliados se em todas as eleições nós vamos para as urnas disputar votos?", questionou Adail ao relembrar as disputas nas eleições municipais na Capital nos anos de 2012, 2016 e 2020.

Nesta terça-feira, o parlamentar, que tem defendido o nome do ex-prefeito Roberto Cláudio à sucessão estadual, chegou a acusar os próprios pedetistas de fazerem "corpo mole" pela candidatura de Ciro Gomes no Ceará.

Em meio à disputa entre Izolda Cela e Roberto Cláudio, a desmobilização entorno da pré-campanha de Ciro acabou sendo alvo de nota da bancada do partido emitida na noite desta terça após reunião. 

"A bancada estadual do PDT esteve reunida na tarde desta terça-feira (21) para reafirmar o total e irrestrito apoio à pré-candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República", diz um trecho da nota.

Rompimento

Por outro lado, o vice-presidente nacional do PT, deputado federal José Guimarães, tem reforçado declarações de apoio ao nome de Izolda Cela à sucessão estadual — o que acaba pressionando o PDT a decidir em favor da gestora como forma de manter a aliança.

Se o PDT não escolher a governadora para a reeleição, o PT pode seguir um outro caminho, de acordo com o deputado.

Nesta quarta-feira (22), o petista publicou nas redes sociais que a legenda tem planos A e B para a tática eleitoral.

"O encontro estadual do PT CE será realizado dia 2 de julho. É natural que Izolda Cela seja a candidata. Assim deseja Camilo Santana e o PT Ceará. Cabe ao PDT topar ou não. Caso não topem, cabe ao PT decidir os rumos nos próximos dias. Temos plano A e B", escreveu o parlamentar.

Indefinição

O ex-governador Camilo Santana, como é do seu perfil, tenta colocar panos quentes nas divergências, mas não garante a continuidade do acordo político-eleitoral.

Nos bastidores, ouve-se que o "PT tem vida própria", e que não é possível "controlar" a legenda pela decisão de poucas lideranças.

O risco de rompimento, no entanto, é visto pela oposição como improvável.

O grupo do pré-candidato Capitão Wagner (UB), inclusive, trabalha com a possibilidade de apenas quatro candidaturas ao Palácio da Abolição: além de Capitão Wagner (UB), Serley Leal (UP), Adelita Monteiro (PSOL) e o nome do PDT.



Assuntos Relacionados