Quem é Ricardo Pinto Pinheiro, o indicado do PL à presidência do Banco do Nordeste?

Valdemar Costa Neto pediu a nomeação do engenheiro para o comando do BNB

Legenda: Banco é alvo de disputa política
Foto: Kid Junior

Após a publicação de vídeo em que pede a destituição da diretoria do Banco do Nordeste (BNB), o presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto já indicou o nome que deseja ter no comando da instituição.

A Coluna confirmou com o próprio partido que o escolhido é o engenheiro Ricardo Pinto Pinheiro.

Até o momento, contudo, não há garantia de que Pinheiro será realmente o novo presidente do banco, cargo hoje ocupado por Romildo Rolim.

A nomeação ainda depende de aval do Governo Federal.

Quem é Ricardo Pinto Pinheiro?

Ricardo Pinto Pinheiro
Legenda: Ricardo Pinto Pinheiro é engenheiro e tem no currículo órgãos federais
Foto: Divulgação

Especialista em políticas públicas, o engenheiro já foi presidente da Associação Brasileira de Concessionárias Rodoviárias (ABCR), diretor-presidente do Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica (DNAEE), presidente da Eletronorte e diretor da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Atuou também no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em Washington, na área de concepção, supervisão e gestão de projetos.

O nome de Ricardo Pinheiro chama a atenção, pois estava fora das listas de cotados previstos para assumir a presidência do Banco do Nordeste. Eles são figuras de dentro do banco: Anderson Possa (Diretor de Negócios), Hailton Fortes (Diretor Financeiro e de Crédito) e Andrade Costa (Chefe de Gabinete da Presidência).

Já falando como futuro presidente, Pinheiro disse a veículos do Sudeste que, após assumir o cargo, irá analisar a situação do contrato de R$ 600 milhões com o Inec (Instituto Nordeste Cidadania), motivo que levou Costa Neto a pedir a saída dos diretores.

Turbulência no BNB

Desde agosto, o Banco do Nordeste está no centro de um turbilhão político com intensas articulações pelo comando do banco, que tem potencial de R$ 40 bilhões anuais em investimentos e é cobiçado por vários partidos.

O vídeo publicado por Costa Neto foi o estopim. O cacique do centrão foi, inclusive, quem indicou Rolim à presidência do Banco, em 2017, conforme explicita no vídeo. 

Rolim é funcionário de carreira do banco desde os anos 1980. Em 2020, ele fora alvo de outra turbulência política, quando fora substituído de forma relâmpago por Alexandre Borges Cabral, indicado pelo centrão para a vaga.

Cabral, no entanto, foi exonerado em menos de 24 horas, após ser apontado como investigado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), e Rolim acabara voltando ao cargo pouco tempo depois.

 



Assuntos Relacionados