A capacidade de resistir e reinventar-se

Legenda: Podemos enfrentar a situação, sendo resilientes e buscando formas de melhor conviver até chegar à superação.
Foto: shutterstock

No dicionário, essa palavra tem dois significados: 1. [Física ] Propriedade de um corpo de recuperar a sua forma original após sofrer choque ou deformação. 2. [Figurado] Capacidade de superar, de se recuperar diante das adversidades.

Resiliência é essa capacidade humana de resistir e reinventar-se diante de situações desafiadoras que geram desgastes, sofrimentos.

Todos nós já passamos por dificuldades, situações graves e complexas que não acontecem todo dia. Pode ser, por exemplo, uma doença ou a morte de ente querido, uma crise afetiva ou financeira. Podemos lidar com essas situações de diversas formas.

Podemos não aceitar, revoltando-se ou deprimindo-se.

Podemos nos entregar, simplesmente cruzar os braços e desistir de lutar.

Ou, enfrentar a situação, sendo resilientes e buscando formas de melhor conviver até chegar à superação.

Não digo que não tenha dor ou sofrimento, mas a vontade de vencer, de ultrapassar aquela fase, é maior. Quem já não viveu um momento desses.

Muitos não acreditam que tenham essa força, ou capacidade. Mas, sim, todos nós temos e podemos desenvolvê-la. Passando por uma situação dessas, se ficarmos atentos, comprometidos em aprender, com o passar do tempo, descobrir-nos-emos mais fortes do que imaginávamos ser. Pode acontecer também, de nem sabermos explicar como conseguimos superar.

> Veja todos os colunistas do Diário do Nordeste

Existem alguns aspectos envolvidos com a resiliência que valem a pena realçar.

Independente de religiosidade, a FÉ é fundamental. Sustentar a convicção que vai conseguir atingir o objetivo, independente dos obstáculos, faz surgir uma força capaz de remover montanhas.

Outro aspecto a ser cultivado é a ESPERANÇA. Quando a nutrimos, independente do desafio, acessamos uma força incrível que existe dentro da gente, para continuar a lutar e usar recursos, muitas vezes não percebidos por nós mesmos.

O OTIMISMO também faz parte. O pessimista não entra na luta, pois já está derrotado. Se assim está, porque se dedicaria por uma causa perdida. Já o otimista, por sustentar a crença que dará certo, que conseguirá dar passos na direção do êxito, mesmo com pedras no caminho, a motivação vem e lhe impulsiona.

Nem sempre as coisas sairão do jeito que se quer ou imagina. Mesmo havendo progresso e comprometimento em dar o melhor de si, existirão quedas.

É importante acolher a frustração e ter a PACIÊNCIA para consigo, com as pessoas envolvidas e com o ritmo da resolução do problema.

É preciso está ABERTO PARA O NOVO e ser FLEXÍVEL. Você pode, e deve, procurar ter ideias bem definidas de como se conduzir nessas situações desafiadoras, mas pode ser que não tenha encontrado o melhor caminho ou forma de resolver. Talvez não esteja dando certo. Não esteja evoluindo. Faz-se necessário procurar um outro modo de ver a situação. Pode ser que precise de ajuda, conversar com alguém mais maduro, mais experiente em relação ao contexto que você está vivendo.

Se você está vivendo uma aflição, lembre-se do mito da fênix, que cabe muito bem aqui. O pássaro fênix, ao morrer, entrava em combustão e ressurgia das próprias cinzas. Ao passarmos por dores profundas, no sofrimento, queimamos crenças limitantes que nos aprisionam, tiram nossa vitalidade e podemos ressurgir como pessoas melhores, mais empoderadas e mais felizes. Para adquirir essas conquistas, a RESILIÊNCIA é a grande e decisiva chave.

Paz e bem!

*Esse texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.