dataLayer = [{ 'Assinante': 'Não' }];

Há muito tempo para as correções

O início da Série A do Campeonato Brasileiro já tem feito alguns estragos. O Flamengo foi derrotado pelo Atlético-MG e goleado pelo Atlético-GO. Alguém de sã consciência poderia imaginar algo pelo menos parecido com o incrível fracasso inicial do time vice-campeão do mundo? Futebol é assim: maravilhoso porque imprevisível, emocionante porque improvável, inigualável porque enigmático. O time, por maior que seja, pode virar Golias, derrubado por uma funda. Os primeiros jogos dos times cearenses não foram bons. Os mais exigentes entraram logo em pânico. Os mais centrados optaram por uma reflexão. Os moderados buscam alternativas. O Fortaleza, acostumado a uma sequência de sucessos, mostra-se incomodado com a sequência de tropeços. Contraste entre o time que passava por cima e que agora se vê em apuros. Mas há como superar, sim. O Fortaleza já passou por tormentos maiores. Lembram-se da Série C? Em vista daquele tempo, o atual é café pequeno. O Ceará, no embalo do título da Copa do Nordeste, também pegou um freio. Alguns receberam como alento o empate com o Grêmio. Não gostei. Em casa, diante dos reservas gaúchos, tinha que vencer.

Carência

O técnico Guto Ferreira choramingou a falta de um homem para fazer o Ceará mais senhor de si. Mas não disse em que posição. Penso eu que na meia onde a produção oscila. Cadê Felipe Baxola? Cadê Ricardinho? Rafael Sóbis e Lima precisam ampliar suas contribuições. O próprio treinador precisa delinear melhor o que na verdade deseja.

Compreensível

O técnico Rogério Ceni surpreendeu ao reagir positivamente, mesmo diante da derrota para o São Paulo. Ele, acertadamente, fixou a análise no que o time produziu, não no resultado, na derrota. Ceni tem razão. O Fortaleza diante do Paraná não jogou. Diante do São Paulo apresentou sinais de recuperação. E teve chances de empatar. Jogou.

Velocidade

Ao elogiar a atuação de David, jogador que em velocidade puxou os contra-ataques do Fortaleza diante do São Paulo, o técnico Ceni mostrou-se coerente com o modelo que ele quer e gosta: saídas rápidas ao ataque. Foi assim que há algum tempo Edinho fez a festa tricolor exatamente pelo setor em que agora David jogou bem no Morumbi.

Amanhã, na Verdinha, enfoque especial nos clubes cearenses. Já no programa "Conversa com o Tom", a partir de 6h, as primeiras informações. Às 10h, Antero Neto comanda a cobertura de Atlético/MG x Ceará. Comentários de Wilton Bezerra. Reportagens Déo Luís.

ÀS 18h, Remo x Ferrão, direto de Belém, com narração de Dênis Medeiros, comentários de Roberto Leite e reportagens de Denise Santiago. Às 19h30, direto do Castelão, Fortaleza x Botafogo. Antero Neto narra, Daniel Rocha comenta, reportagens de Ivan Bezerra.