O que é preciso para ser ator?

Laura Cardoso lembra que ser ator é acompanhar o seu tempo, se perder em leituras, falar com o povo e ter conhecimento sobre o mundo
Legenda: Laura Cardoso lembra que ser ator é acompanhar o seu tempo, se perder em leituras, falar com o povo e ter conhecimento sobre o mundo
Foto: Globo/Raquel Cunha

Não sei se vocês, leitores desta coluna, seguem o perfil @atoresdadepressao, no Instagram. Se não - e se, por acaso, você é ator - queria deixar aqui esta sugestão. Trata-se de uma página bem humorada, com tiradas divertidas que fazem alusão ao ofício da atuação no teatro, cinema e televisão. Entretanto, em meio a publicações engraçadas, o perfil sempre posta trechos de entrevistas com grandes artistas que falam, na sua maioria, sobre o que deve ser essencial naquele que busca ser e viver da arte.

Todos os depoimentos são de grandes artistas, com carreiras consolidadas e que são entrevistadas, por exemplo, por pessoas como Abujamra, no antigo Provocações, da TV Cultura ou, em outros casos, interrogadas por jovens aspirantes que tentam entender como se processa o caminho para chegar no lugar daqueles que estão ali dando entrevista.

Todas as vezes que me deparo com essas entrevistas, eu sou completamente arrebatado. Paro, assisto algumas vezes e me pego pensando sobre esses ensinamentos que são sempre certeiros e, em alguns momentos, muito dolorosos. O que sempre me chama atenção é que nenhuma das respostas dadas por esses artistas são receitas de sucesso.

Não há o acaso do destino, a descoberta de um dom ou mesmo um caminho específico que, se seguido, fatalmente trará sucesso. Não! Todas as respostas são, basicamente, a mesma e seca: não é fácil!

Eva Wilma conta para o programa Persona em Foco que é preciso ter força, ir à luta, acreditar no sonho, mesmo que seja necessário exercer uma outra profissão para garantir esse sonho. É preciso acreditar e batalhar.

No mesmo programa, Jandira Martins dá um recado para os que desejam ingressar na carreira artística: coragem! “É preciso coragem e estudo, muito estudo”. Jandira alerta, ainda, que o estudo, embora importante, não resolve, pois como se trata de uma profissão difícil, onde ter coragem é essencial. Ela ainda finaliza dizendo que “se você tem essa vontade. Tenha coragem de usar essa vontade bem”.

Mônica Martelli, no programa Caderninho de Perguntas das Coisas Comuns, esbraveja: “Pare de ficar esperando que alguém te olhe e faça dar certo! Pegue teu texto, um banquinho, vai pra praça e fala teu texto pro mundo. Para de ficar esperando… ninguém é obrigado a saber que você é bom”.

São vários relatos importantíssimos que se pode encontrar arrastando o dedo pela tela do celular. Entre tantas notícias ruins e memes aleatórios, ser surpreendido por depoimentos de pessoas assim na internet é sempre uma chance de aprendizado não apenas para os aspirantes que sonham com o reconhecimento, mas também para os veteranos que não devem esquecer do caminho traçado.

Finalizo minha coluna/dica, deixando aqui um trecho do Programa Provocações, para lembrarmos de que ser ator é acompanhar o seu tempo, se perder em leituras, falar com o povo e ter conhecimento sobre o mundo. Com vocês, Laura Cardoso.

*Esse texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.