Aviões completa 20 anos em 2022 e fãs pedem turnê de Xand Avião e Solange Almeida

Primeiro passo foi dado

Com sorrisos largos, Xand Avião e Solange Almeida deixaram diferenças de lado em longos abraços na
Legenda: Com sorrisos largos, Xand Avião e Solange Almeida deixaram diferenças de lado em longos abraços na "Farofa da Gkay"
Foto: Lucas Facundo/Divulgação

O ano de 2022 será marcado no forró eletrônico pelo aniversário de 20 anos da banda Aviões do Forró. O reencontro inesperado na "Farofa da Gkay" de Xand Avião e Solange Almeida despertou a esperança dos fãs em um retorno da dupla para uma turnê no próximo ano. Apesar do apelo na internet, o público "aviãozeiro" ainda é dividido pelo retorno da parceria. 

Em 2021, os fãs esperaram um reencontro dos cantores em diferentes momentos como nas lives de março, transmissões de São João e até mesmo em apresentações no Natal e Réveillon. Apesar da demora, as pazes aconteceram no lugar certo e na hora certa. — por maldade, tem gente que até fala ter sido combinado. 

O reencontro em uma festa com vários holofotes aumenta a responsabilidade sobre os próximos passos dessa união. Solange Almeida já deixou claro que tirou um peso que carregava e já agendou um café com Xand Avião. Em vídeos no Instagram, a cantora já ressaltou não olhar mais para o passado conflituoso cercado por embates jurídicos.

De fato, Solange Almeida e Xand Avião funcionam melhor juntos. Quem acompanha o Aviões desde o início, conhece a dosagem que cada um leva de romantismo e "bagaceira" em cada apresentação. 

Agora, é ciente que uma turnê com os forrozeiros juntos vai precisar ir além de um reencontro. Metade do caminho já foi superado. Mais um percentual para dar certo é somado com as falas positivas dos empresários Carlinhos Aristides e Isaías CDS, gestores da marca Aviões, ao ver o reencontro dos amigos. 

Nos bastidores, já se falam na aproximação de Solange Almeida da empresa responsável por festas de Xand Avião. Nada ainda foi confirmado

O cenário de saúde pública também precisa ser favorável. O Ceará, casa do Aviões e morada dos cantores, vive um momento de limitações por decretos para evitar novos casos da Covid-19. Se estivéssemos em outras condições sanitárias, o olhar empresarial também seria outro. Visto a capacidade logística dos forrozeiros serem mais forte no estado. 

Quem esperou quatro anos a poeira baixar, pode esperar mais um pouco para fazer a poeira subir em uma festa com muito forró ao som do Aviões.