Governador demonstra irritação e manda suspender edital para Ciclo Carnavalesco

O anúncio da Secretaria de Cultura estava na contramão do que vem sendo pregado por Camilo: não haver festas públicas enquanto a pandemia não estiver superada

Governador Camilo Santana em entrevista coletiva no Palácio Abolição
Legenda: Nas redes sociais, o governador voltou a defender cautela sobre a realização de festas públicas

O governador Camilo Santana (PT) demonstrou irritação com o lançamento do edital de Carnaval feito na segunda-feira (29) pela Secretaria de Cultura do Estado. 

O XV Edital Ceará Ciclo Carnavalesco foi oficialmente comunicado, mas, por ordem do governador, acabou suspenso no início da manhã desta terça-feira (30). O assunto não voltará a ser discutido por enquanto.

O fato causou surpresa no governador e em seu staff pelo fato de que o chefe do Executivo vem há alguns dias fazendo ponderações constantes sobre a realização de festas públicas no fim de ano e também no Carnaval, no sentido de conter o ímpeto dos mais afoitos em causar aglomerações. 

Inclusive, o último decreto que estipula as regras de enfrentamento à pandemia trouxe a proibição de realização de festas públicas no Réveillon. 

Camilo considera que, diante da nova cepa do coronavírus identificada na África e do avanço de casos em alguns países da Europa, é necessário repensar ações públicas no Estado para evitar uma nova onda da doença. 

O governador determinou a suspensão do edital e foi às redes sociais comunicar a decisão. 

A secretaria de Cultura do Estado soltou uma nota com apenas um parágrafo dizendo que o edital está suspenso e que será submetido ao Comitê Científico de Combate à Pandemia. 

Esta coluna apurou, no entanto, que o tema não será alvo de apreciação pelo comitê neste momento. Governador não quer nem ouvir falar nisso.