Izolda Cela com os Lojistas: do Fisco ao Plebiscito

Durante mais de duas horas, a governador do Ceará ouviu elogios e pedidos dos líderes do comércio lojista de Fortaleza. No final, ficaram três certezas.

Legenda: A governadora Izolda Cela reunida com os lojistas de Fortaleza, ao lado do presidente da CDL, Assis Cavalcante (D)
Foto: Divulgação

Seguem em paz as relações do comércio lojista de Fortaleza com as autoridades do Governo do Estado, que ontem se reuniram, no modo confraternização, na sede da CDL.
 
A governadora Izolda Cela, numa demonstração de respeito e apoio aos empresários do varejo a capital cearense, fez-se acompanhar dos seus secretários da Casa Civil, Chagas Vieira; da Fazenda, Fernanda Pacobahyba; do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior; e da Segurança Pública, Sandro Caron. Todos eles foram elogiados.

Izolda Cela recebeu elogios calorosos de uma empresária lojista, que aplaudiu a ação da Secretaria de Segurança Pública pelo que ela considerou uma “queda substancial” nos índices de violência em Fortaleza. 

Surpreso, o secretário Caron ficou com o rosto avermelhado, mas, com meneios de cabeça, agradeceu a manifestação de apoio.
 
Outra empresária, membro da Associação Lojista Feminina, que também tratou de “você” a principal autoridade do Estado, fez um apelo no sentido de que a governadora Izolda Cela ajude as escolas do ensino privado, que atravessam dificuldades causadas pela Pandemia da Covid-19, ouvindo como resposta uma frase do tipo “vamos ver o que poderemos fazer”.

Um lojista de categoria cinco estrelas aplaudiu “o fim da Taxa de Contingência” que a Cagece vinha cobrando, desde 2018, dos consumidores da Região Metropolitana de Fortaleza como medida de pressão para a redução do consumo de água, tendo em vista a crise hídrica da época. 

O mesmo lojista, sentado bem diante da Secretária da Fazenda, sugeriu que a Sefaz não precisa mais destacar fiscais para a porta das lojas, “porque todo o sistema tributário do Ceará, desde o estoque da loja até o ato final de compra feito pelo consumidor é acompanhado em tempo real, e no modo digital, pelo Fisco”. 

A secretária Fernanda Pacobahyba, sorrindo, balançou a cabeça, concordando.

A assessora da Associação Lojista Feminina (Alfe), com o celular ligado e gravando com imagem e som sua própria pergunta e a resposta da governadora, quis saber como estão as tratativas junto ao Supremo Tribunal Federal a respeito do interesse do vizinho Piauí de retomar uma grande área do território cearense, na qual se incluem os municípios da Ibiapaba.

Izolda Cela respondeu, dizendo que acompanha com muito interesse a análise da questão no STF, e adiantou que se reuniu recentemente com sua colega Maria Regina de Souza, governadora do Piauí, tratando do assunto, estando otimista quanto ao que decidirá a Suprema Corte de Justiça do país.

Freitas Cordeiro, presidente da FCDLs do Ceará, sugeriu à governadora que se promova um plebiscito sobre o tema, ouvindo a população da Ibiapaba, que, democrática e soberanamente, como público exclusivamente interessado na questão, manifestará sua opinião.

No fim, após duas horas de reunião, ficou a certeza de que o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza, Assis Cavalcante, é um líder capaz de mediar os interesses dos seus colegas empresários do varejo com as principais autoridades do governo do Estado. 

Outra certeza ficou: a de que a Federação das CDLs do Ceará, presidida por Freitas Cordeiro, também tem, como a CDL Fortaleza, força política capaz de mobilizar o varejo do Estado a favor ou contra qualquer causa.

E uma terceira certeza: a de que a governadora Izolda Cela, ao comparecer à reunião com os líderes lojistas, fez um aceno ao empresariado, transmitindo-lhes duas mensagens, uma destinada aos seus contribuintes, pessoas jurídicas, outra endereçada ao