Iracema Digital quer criar o Atlas da Tecnologia da Informação

Empresários e acadêmicos cearenses da área tecnológica também pensam em instalar uma plataforma estratégica como o Observatório da Indústria, da Fiec. E mais: Nordestino comanda Coca-Cola nos EUA

Legenda: Um Atas da Tecnologia da Informação e Comunicação e um Observatório da TIC estão no radar do grupo Iracema Digital
Foto: Xbox/Bethesda

Já tem o Ceará o seu Atlas da Energia Eólica e da Energia Solar, cujas valiosas informações balizam hoje os investimentos públicos e privados na área. Já dispõe o Ceará do seu Observatório da Indústria, uma sofisticada plataforma de informações estratégicas que a Fiec criou e colocou à disposição de quem quer investir neste Estado. 

Pela mesma trilha quer caminhar o Iracema Digital – um grupo de pessoas de diferentes ramos das atividades econômicas e científicas, liderado por dois craques do setor, Mauro Oliveira, ex-reitor do IFCE, e Ricardo Liebmann, do Grupo Secrel. 

Esse grupo já se move no sentido de criar, também, o Atlas da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Ceará. O que há, de alguns anos para cá, é o esforço isolado de acadêmicos e de poucos empresários e empresas cearenses que, carentes de informação, de orientação e até de apoio do governo, tentam, sozinhos, descobrir e apropriar-se dos novos conhecimentos.
 
No mundo desenvolvido, uma novidade tecnológica costuma ser, em apenas seis meses, superada por outra, que surge do investimento no conhecimento, que, por sua vez, é fruto da busca perseverante pela mudança. 

O empresário Joao Teixeira, misto de engenheiro civil e empresário fruticultor e, por isto mesmo, conhecedor profundo dos recursos hídricos do Ceará, aproveita a onda criativa para sugerir que o Iracema Digital, do qual é um dos integrantes, trate, também, de criar imediatamente o Observatório da Tecnologia da Informação e Comunicação do Ceará, que, a exemplo do Observatório da Indústria, instalado na Fiec, seria também uma ferramenta estratégica de ajuda e orientação aos futuros empreendimentos da área da TIC.

“Será possível instalar um Observatório da TIC, pois não me parece difícil levantar recursos para um projeto dessa envergadura e com esse objetivo”, aposta João Teixeira, na opinião de quem o Ceará também precisa de uma governança na área do TIC.

De acordo com ele, “não podemos dizer que a Etice (Empresa de Tecnologia da Informação do Estado do Ceará, organismo estatal) seja uma empresa de governança do TIC".

Teixeira acrescenta para concluir:

"A Etice é uma empresa de infraestrutura, que, pelo seu tamanho, presta pouco atendimento, principalmente ao governo. Como TIC é atividade transversal em todas as secretarias do estado, tendo sido criada em cada pasta uma coordenadoria nessa área, está na hora de propormos ao governo a criação de uma Secretaria Específica para cuidar do TIC no Ceará.  TIC é uma economia invisível, que, como o saneamento, fica enterrado. Nós já temos maturidade para propor isto ao governo. Como não há governança na área do TIC, cada um atua no seu quadrado”.

NORDESTINO COMANDA COCA-COLA NOS EUA

Acredite, que é vero!

A maior operação da Coca-Cola nos Estados Unidos é a que envolve os estados de Nova Iorque, New Jersey e Pensilvânia. 

Ela é três vezes maior do que a das regiões Norte e Nordeste do Brasil.

E quem a comanda? 

Um pernambucano de Recife, Luiz Coulier, 46, graduado em finanças pela Hunt University, de Boston. Ele é casado com a cearense Lília Maria, 40, das famílias Cirino, Nogueira e Paula Colares. O casal tem três filhos, o mais novo dos quais, Ben, de um 1 ano de idade, é cidadão norte-americano.

Coulier é o CEO da Liberty Beverage, que envasa e distribui coca-cola naqueles três estados norte-americanos.

Na próxima sexta-feira, 24, a Liberty Beverage será visitada pelo presidente mundial da Coca-Cola, James Quincey.