Ex-senador Luiz Pontes indaga: o que é do Funcaju?

É de sua autoria o Fundo de Apoio à Cultura do Caju, que até hoje não foi regulamentado. E mais: 1) Marquise expande-se em SP; 2) Dois dias de gasolina sem imposto; 3) Vem aí o Trilha Impactar

Legenda: Sem ter sido ainda regulamentado, o Funcaju está há 9 anos sem operar
Foto: Embrapa / Ricardo Moura

Autor do Projeto de Lei que, aprovado pelo Congresso em 2001, criou o Fundo de Apoio à Cultura do Caju (Funcaju), o senador Luiz Pontes reclama da bancada federal nordestina no Senado e na Câmara dos Deputados, que até agora fez nada pela regulamentação desse instrumento de financiamento de projetos de revitalização da cajucultura. Sem um regulamento, o Funcaju, na prática, não existe, afirma ele.

Em mensagem a esta coluna, ele afirma que tem acompanhado neste espaço os debates que produtores e beneficiadores da indústria do caju enfrentam “para manter vivo um dos segmentos que, mesmo em queda, ainda se mantém como item importante da pauta de exportação do Ceará e do Nordeste”.

Luiz Pontes revela que conhece de perto os problemas da cajucultura, razão pela qual “me solidarizo com famílias e comunidades rurais que vivem da produção do caju e, também, com os industriais que ainda resistem, mesmo operando bem abaixo de sua capacidade instalada”.

Na época da tramitação do seu projeto de criação do Funcaju, “recebi o apoio substancial do meu amigo, o saudoso senador Antônio Carlos Magalhães, que muito contribuiu no debate de criação do Fundo, semelhante ao projeto voltado para o estímulo à produção do cacau na Bahia”.

Luiz Pontes recorda que seu projeto passou por diversas mudanças na Câmara dos Deputados e, quando voltou ao Senado, em 2013, o senador Eunício Oliveira deu importante contribuição para as mudanças feitas na proposta original que criou o Funcaju.
 
“O projeto foi sancionado pela então presidente Dilma Rousseff. Nove anos já se passaram, mas o Funcaju continua sem regulamentação, sem verba orçamentária e sem qualquer manifestação política para colocá-lo em prática. Nossa bancada federal, em especial, tem sido leniente nesse sentido, indiferente à agroindústria do caju no Estado e no peso determinante que ela tem em pelo menos 40 municípios cearenses”, acentua o ex-senador cearense.

Ele conclui com uma constatação e uma pergunta:

“A realidade é que a indústria do caju continua sem metas, estratégias e nos mantém sob ameaça constante da concorrência externa. Até quando vamos continuar indiferentes?” 

QUATRO DIAS DE GASOLINA SEM IMPOSTO

De 25 a 28 deste mês, a Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE) – em parceria com a Federação das AJE do Ceará (Fajece) e com o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Ceará (Sindipostos) – promoverá mais uma edição do Feirão do Imposto, que pode ser chamado de “Gasolina sem Imposto”. 

Para tratar do evento, o coordenador- geral da AJE, George Martins, reuniu-se ontem com a diretoria do Sindipostos-CE, presidida por Manuel Novais Neto, que confirmou a participação de sua entidade na promoção. 

A venda de gasolina “sem imposto” é uma iniciativa da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje) por meio da qual seus promotores chamam a atenção da população para a carga excessiva de tributos que incidem sobre produtos—entre eles os combustíveis – e serviços consumidos no País, e que ficam “escondidos” no preço final pago pelo consumidor. 

O Feirão do Imposto ou “Dia da Gasolina sem Impostos” deve alcançar 70 cidades de todos os estados brasileiros.

SEMINÁRIO DE GESTORES PÚBLICOS SERÁ EM JUNHO

Vem aí, nos dias 22 e 23 do próximo mês de junho, a 10ª edição do Seminário de Gestores Públicos - Prefeitos Ceará 2022. 

O evento, que terá a participação de prefeitos e formadores de opinião, será realizado no Centro de Eventos do Ceará.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do site www.seminarioprefeitosce.com.br 

Com o slogan “10 anos contribuindo para o fortalecimento da gestão municipal”, o Seminário de Gestores Públicos é uma realização da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) e do Instituto Future e conta com o apoio institucional do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE) e do Instituto Rui Barbosa (IRB). 

A promoção é do jornal Diário do Nordeste.

INSCRIÇÕES PARA MAIS UM TRILHA IMPACTAR

Serão abertas, a partir de amanhã, 6, e até o dia 31 deste mês as inscrições para a Trilha Impactar, um programa de aceleração de negócios desenvolvido pela Somos Um, organização de apoio e fomento o ecossistema de impacto cearense, liderado pela empresária Ticiana Rolim Queiroz.

A nova edição da Trilha Impactar dará foco a ideias de negócios que nasçam em Organizações da Sociedade Civil (OSC’s) cearenses, que possam tanto resolver problemas quanto contribuir para a sua sustentabilidade financeira. Serão selecionadas seis OSC's para participar do ciclo.

Uma vez selecionadas, as OSC’s receberão, gratuitamente, durante 09 (nove) meses, qualificação para estruturar seu negócio social, passando por mentorias financeiras e de investimentos, desenvolvimento de planos de negócios, de produtos e de marketing, além de palestras e demais atividades orientadas por especialistas reconhecidos no mercado. Cada OSC poderá submeter até 02 (duas) ideias inovadoras. Durante a Trilha, o atendimento será realizado em grande parte de forma virtual e com um evento em formato presencial. 

As atividades terão início no dia 20 de junho e devem seguir até início de março de 2023.

MARQUISE AVANÇA EM SÃO PAULO

Novidade na Marquise Incorporações, empresa do Grupo Marquise, que acaba de contratar o economista Dalton Guedes para o cargo de Diretor Regional de Incorporações, no Estado de São Paulo.  

Com 16 anos de experiência no segmento e especializado em desenvolvimento, novos negócios e inteligência de mercado, Guedes, graduado pela USP, será um dos líderes da operação da Marquise Incorporações na capital paulista. 
 
A empresa, que fez o seu primeiro lançamento imobiliário em São Paulo em novembro de 2021, o Park View Vila Nova Conceição, lançará lá, até o final deste ano, mais três residenciais.