Ceará e Fortaleza: derrotas e 1 mês sem saber o que é vencer

O momento do nosso futebol na Série A não é dos melhores. Vovô e Leão não vencem há mais de 30 dias

Imagens dos jogos Grêmio x Ceará e Fortaleza x Atlético-MG
Legenda: Imagens dos jogos Grêmio x Ceará e Fortaleza x Atlético-MG
Foto: Lucas Uebel (Grêmio) / Thiago Gadelha (SVM)

Ceará e Fortaleza acumularam mais um resultado negativo pela Série A do Campeonato Brasileiro

O momento não é nada bom, apesar da colocação de tabela ainda ser "tranquila".

Falando do Vovô, o time contou com a estreia do técnico Tiago Nunes e a primeira impressão não foi absolutamente nada agradável.

Lembrou demais o desempenho da última partida, contra o América-MG, quando Guto Ferreira foi demitido.

Alvinegro não levou perigo algum ao gol do goleiro Chapecó. Foi totalmente batido e abatido na Arena do Grêmio.

Gostei da escalação inicial porque, no papel, é o que talvez o Ceará tenha de melhor. Mas vários jogadores estão devendo e não têm atuado em nível de primeira divisão.

Mendoza, Gabriel Dias, Clebão, Fabinho, o próprio Vina... Todos deixando muito a desejar.

Vai ser difícil a vida de Tiago Nunes para tentar ir mudando a forma do time atuar, com esse elenco que está "moldado" a jogar de uma forma mais reativa, sem ter muito apreço pela bola.

Com relação ao Fortaleza, o problema não é a derrota em si. É a sequência que já é de 6 jogos sem vencer, o que configura mais de 1 mês sem vitória.

No jogo de domingo diante do Atlético-MGVojvoda promoveu a titularidade de Lucas Lima e eu gostei da apresentação do meia. Apareceu para o jogo, criou, não se omitiu

Mas o desempenho ofensivo da equipe tem sido muito abaixo.

No primeiro tempo conseguiu quase anular os pontos fortes do Galo, mas na segunda etapa seguiu sem muita agressividade, mesmo estando atrás do placar.

Felipe Alves voltou ao gol como titular, de onde não deveria nunca ter saído, apesar dessa mudança costante para a posição de goleiro, não me agradar.

Agora é arrumar forças e estar com a "cabeça boa" para não sentir a pressão dessa sequência negativa em um momento muito importante na próxima quarta-feira, contra o São Paulo, pela Copa do Brasil.