Ceará chega ao sexto jogo sem vencer no Brasileirão em atuação preocupante contra o Juventude

Em jogo com primeiro tempo horroroso, sem nenhuma finalização, Alvinegro segue sem ganhar nenhuma partida como visitante na Série A

Bruno Pacheco com a bola dominada em cruzamento
Legenda: Bruno Pacheco retomou a titularidade do Ceará após cumprir suspensão
Foto: Israel Simonton/Cearasc

Preocupante. Assim foi o empate do Ceará com o Juventude, em 0 a 0, neste sábado (23). O resultado, em si, já é ruim, tendo em vista que o Vovô segue sem vencer nenhum jogo fora de casa e poderia ter se afastado de um concorrente direto na luta contra o rebaixamento. Mas isso fica em segundo plano após uma atuação incompreensível da equipe de Tiago Nunes.

É o 6º jogo seguido sem vitória, com quatro empates e duas derrotas no período.

O Juventude foi muito melhor na partida, a começar pelo primeiro tempo em que amassou o Ceará. O time gaúcho finalizou 13 vezes, teve o dobro de posse de bola (66% x 34%) e mandou no jogo. Em 50 minutos, o Alvinegro totalizou 0 finalizações. Isso mesmo, nenhum chute.

Reflexo de uma equipe que não passou do meio de campo. O Ceará não conseguia colocar a bola no chão e trocar cinco passes, enquanto a equipe do estreante Jair Ventura pressionava em busca do gol, que só não foi marcado pelas defesas importantes de João Ricardo.

A postura do Ceará no 1º tempo foi vexatória. Foi um time que inexistiu.

Melhora no 2º tempo

Legenda: Ceará empatou em 0 a 0 com o Juventude
Foto: Fernando Alves/EC Juventude

No intervalo, Tiago Nunes mexeu na equipe. Mais uma vez, o treinador tirou Fernando Sobral. Dessa vez, colocando Jorginho e deixando Fabinho e Marlon em campo.

Muito difícil entender a saída do maior ladrão de bolas de todo o Brasileirão e, indiscutivelmente, melhor volante do elenco.

Mas é fato que o time melhorou na 2ª etapa (piorar seria difícil). Aos 16 minutos do 2º tempo, o Ceará finalizou pela primeira vez no jogo. Foram 66 minutos de bola rolando (contando os acréscimos) até realizar um chute no gol do Juventude. O goleiro Douglas fez boa defesa na finalização de Erick.

Mendoza entrou no lugar de lima e surpreendentemente melhorou a equipe.

No geral

Pelo que foi o jogo, o empate acabou saindo melhor negócio para o Ceará. O Juventude, que teve 26 finalizações (8 na direção do gol), tem que lamentar muito mais que o Alvinegro, que só chutou quatro vezes.

Velhos problemas

O Alvinegro até criou boas chances e poderia ter marcado se tivesse maior capricho nas finalizações, um erro recorrente há várias rodadas.

Poderia ter vencido se tivesse aproveitado contra-ataque no último minuto de jogo, que foi desperdiçado como um retrato da displicência e passividade dos jogadores do Ceará.

Um time que parece não se importar com uma atuação terrível e um resultado ruim como esse.

Será preciso mostrar bem mais para vencer algum jogo fora de casa. Já são 13 partidas e nenhum triunfo como visitante. O único time que ainda não ganhou longe de seus domínios.

É preocupante.