Análise: Fortaleza evolui na defesa, mas é prejudicado pela arbitragem e empata com Grêmio

Leão abriu o placar com Osvaldo no 1º tempo, mas viu os gaúchos empatarem no 2º tempo após Diego Souza cobrar uma penalidade duas vezes no estádio em Porto Alegre/RS, garantindo o 1 a1 pela 10ª rodada da Série A do Brasileirão

Legenda: Partida foi marcada por lances polêmicos da arbitragem
Foto: divulgação / Grêmio

Uma nova partida nivelada contra um adversário de maior nível técnico, mas dessa vez com o selo da arbitragem no resultado. O Fortaleza até abriu o placar contra o Grêmio, ontem, mas ficou no 1 a 1 em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, pela 10ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

De fato, a influência do juiz Igor Junio Benevenuto (MG) merece capítulo à parte. O lance capital ocorreu no minuto inicial do segundo tempo em pênalti de Quintero em Everton. Para o ex-árbitro Sálvio Spinola, comentarista na Central do Apito da Rede Globo, o contato não foi suficiente para decisão de penalidade. "Vejo como interferência no resultado. Pelo placar, é o momento de analisar, não dá para falar do jogo pelos 90 mnuntos, mas o placar passa pela conta da arbitragem", analisou.

Na cobrança, Diego Souza bateu para defesa de Felipe Alves, mas Luiz Henrique aproveitou o rebote. O segundo detalhe é que o meia se adiantou para conseguir chegar na bola, e o árbitro de vídeo (VAR) solicitou o retorno da batida. A nova chance, sim, foi convertida por Diego Souza.

Dito isso, vale reforçar que a proposta tricolor foi bem executada durante o primeiro tempo. Novamente reativo, o time comandado por Rogério Ceni apresentou evolução na consistência defensiva e tem sido efetivo mesmo com pouca posse de bola.

Ouça o FortalezaCast

Powered by RedCircle

No parâmetro comparativo, frente aos donos da casa, apresentou mais êxito pela estratégia adotada mesmo com números inferiores em posse de bola (56% x 44%), finalizações (14 x 3), passes (530 x 423) e escanteios (6 x 2). Os frutos existem pois o Leão manteve a organização ofensiva quando se portou ao ataque. Na defesa, Ronald substituiu Felipe no meio-campo e mostrou muita entrega na marcação.

Ao atrair o Grêmio para o próprio campo, o Leão conseguiu explorar os espaços criados e produziu cenários de 1x1 para os extremos do esquema 4-2-4: Osvaldo levou perigo uma vez e depois fez o gol ao cruzar com liberdade e ninguém desviar até a meta. 

As linhas compactas também dificultaram as chegadas no goleiro Felipe Alves. Houve um corredor preenchido e marcações alternadas entre linhas médias e baixas, iniciando desde Wellington Paulista.

Reta final sem ataque

A atuação perigosa do Fortaleza foi inexistente no segundo tempo. Em 51 minutos, o time não conseguiu agredir a meta de Vanderlei nenhuma vez. A defensiva se tornou um trabalho coletivo extremo e impediu qualquer reação.

É evidente que a dupla expulsão de Luiz Fernando e Gabriel Dias aos 25 do segundo tempo resultou em dificuldade para recomposição: Ceni não possuía nenhuma opção para a função de lateral direito e improvisou o meia Marlon no corredor.

A ausência foi de velocidade, transição e melhores escolhas individuais (casos de David e Romarinho) no sistema ofensivo. No processo, o Fortaleza se anulou e fincou ocupação do meio-campo para conseguir ponto importante em novo empate contra gigantes.

Ficha Técnica

Grêmio 1x1 Fortaleza

Competição: Série A do Campeonato Brasileiro

Data: 13/09/2020

Horário: 16h

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Gol: Osvaldo aos 16´/1º T (0-1), e Diego Souza aos 06´/2º T (1-1)

Cartões amarelos: Osvaldo (F), Derley (F), Rogério Ceni (F) e Robinho

Cartões vermelhos: Charles Hembert (F), Gabriel Dias (F) e Luiz Fernando (G).

Grêmio: Vanderlei; Orejuela (Guilherme), David Braz, Geromel e Cortez; Darlan, Maicon (Robinho) e Isaque (Luiz Fernando); Alisson, Diego Souza e Everton (Ferreira). Técnico: Renato Gaúcho.

Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias, Quintero, Paulão e Carlinhos; Ronald e Juninho; David, Romarinho, Wellington Paulista e Osvaldo. Técnico: Rogério Ceni.