Presidente do Real Madrid diz que Superliga não acabou: "para ajudar a salvar o futebol"

Florentino Pérez afirmou que a competição está em stand-by, com alguns clubes avaliando a participação

Florentino Pérez em discurso pelo Real Madrid
Legenda: Florentino Pérez é o atual presidente do Real Madrid, um dos principais clubes do mundo
Foto: AFP

Um dos idealizadores da Superliga europeia, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, criticou o gestor da Uefa, o esloveno Aleksander Ceferin. Em entrevista para a rádio espanhola Cadena Ser, nesta quarta-feira (21), o dirigente ressaltou que o objetivo do novo torneio era ajudar o futebol.

"Nunca vi tamanha agressividade como aquela manifestada pelo presidente da Uefa e por alguns presidentes de Ligas. Depois de anunciarmos a notícia, pedimos uma reunião com presidente (Ceferin), mas ele nem nos respondeu. Nunca vi tanta agressividade, ameaças, como se tivéssemos matado o futebol. Trabalhamos para ajudar a salvar o futebol", afirmou.

Com a repercussão negativa, diversos clubes convidados para o torneio desistiram da participação. Florentino admitiu que 'o projeto da Superliga ficou em stand-by' e que Juventus e Milan "não desistiram" dele, enquanto que o Barcelona "está em reflexão".

"Estamos há muitos anos trabalhando num projeto que não fui capaz de explicar. Estou triste e decepcionado. Era algo fácil de entender, a Liga é intocável e é preciso arrecadar dinheiro nos jogos a meio da semana. O formato da Liga dos Campeões está obsoleto e só tem interesse a partir das quartas", comentou.

Após a proposta de uma competição com 12 dos clubes mais ricos da Europa ser anunciada, a Uefa lançou a reformulação da Liga dos Campeões. A fórmula amplia o número de jogos e muda o formato do torneio a partir de 2024.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte