MC Pitbull da Firma tem caixão desenterrado e incendiado um dia após ser morto no Grande Recife

O cantor João Vitor da Silva de Amorim foi vítima de assassinato no último domingo (24)

MC Pitbull da Firma fazendo arminha com as mãos
Legenda: MC Pitbull da Firma foi assassinado no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife
Foto: Reprodução/Instagram

Um dia após ser morto a tiros, o cantor de brega-funk João Vitor da Silva de Amorim, 23, mais conhecido como MC Pitbull da Firma, teve o caixão desenterrado e incendiado, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

Segundo polícia e prefeitura, o artista foi morto a tiros na madrugada de domingo (24) e teve o túmulo violado por volta das 20h dessa segunda-feira (25), no Cemitério São José, no centro do Município. As informações são do G1

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. “Será instaurado inquérito policial para averiguar o caso, que é considerado um crime bárbaro e de violência gratuita”, afirmou a prefeitura em comunicado ao G1.

Cemitério isolado

Devido ao incidente, o cemitério teve que ser isolado nesta terça-feira (26) e os sepultamentos foram temporariamente suspensos.

Conforme o artigo 212 do Código Penal, o ato de vilipendiar cadáveres ou suas cinzas pode ser punido com um a três anos de reclusão e pagamento de multa.

MC Pitbull da Firma 

Somando mais de 5,3 mil seguidores no Instagram, MC Pitbull da Firma costumava postar títulos de música com conteúdo sexual explícito, além de textos e fotos com informações atreladas a casos de violência.

Em uma das postagens no Instagram, ele publicou um storie que diz: “esse arrombado aí que matou Pedro tem que ser pego”. E escreve um pedido de ajuda se referindo a supostas mentiras postas na internet contra ele.

“Estão fazendo fake e inventando coisa minha sem eu ter nada a ver eu sei que isso. É inveja. Estão fazendo isso para me abalar, mas isso só me deixa mais forte”.

A assessoria de MC Pitbull da Firma confirmou que o túmulo dele foi violado, mas não quis se pronunciar sobre o caso.