Caça da FAB intercepta aeronave carregada com 500 kg de pasta base de cocaína

A ação fez parte da Operação Ostium, para coibir ilícitos transfronteiriços

Aeronaves de defesa aérea A-29 Super Tucano
Legenda: Aeronaves de defesa aérea A-29 Super Tucano
Foto: Sargento Bianca / CECOMSAER

Uma aeronave de pequeno porte entrou no espaço aéreo brasileiro sem autorização e foi interceptada pela Força Aérea Brasileira (FAB), por volta das 12h36, no domingo (3). O fato aconteceu no Estado do Mato Grosso do Sul. Duas aeronaves de defesa aérea A-29 Super Tucano foram usadas para monitorar o avião.

Os pilotos de defesa aérea seguiram o protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo brasileiro, interrogando o piloto da aeronave, mas não obtiveram resposta. Nesse momento, a aeronave foi classificada como suspeita, conforme previsto no Decreto 5.144, de 16 de julho de 2004.

Aeronave interceptada pela FAB e Polícia Federal
Legenda: Aeronave interceptada pela FAB e Polícia Federal
Foto: Divulgação/Polícia Federal

Na sequência, os pilotos da FAB ordenaram a mudança de rota e o pouso obrigatório em aeródromo específico. Porém, o piloto do avião interceptado não obedeceu. Foi necessário, então, que a defesa aérea comandasse o tiro de aviso.

Após a execução do tiro de detenção, a aeronave, que não tinha plano de voo e entrou no espaço aéreo do Brasil pela fronteira do Mato Grosso do Sul, fez pouso forçado no Estado de São Paulo, entre as cidades de Jales e Pontalinda. 

Carga apreendida pela Polícia Federal
Legenda: Carga apreendida pela Polícia Federal
Foto: Divulgação/Polícia Federal

A partir de então, a Polícia Federal assumiu as Medidas de Controle de Solo (MCS). Duas pessoas se evadiram antes da chegada dos policiais e na aeronave foram encontrados em torno de 500 quilos de pasta base de cocaína.  

Conforme o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), os radares identificaram a aeronave entrando no espaço aéreo brasileiro. O avião, sem contato com o controle, descumpriu todas as medidas de policiamento realizadas, mostrando-se hostil.

A ação faz parte da Operação Ostium, para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a Força Aérea Brasileira e a Polícia Federal.

A FAB trabalha diuturnamente na garantia da soberania do espaço aéreo brasileiro. Essa ação mostra que o Sistema de Defesa Aérea do Brasil atua de forma permanente, 24 horas por dia, para garantir a soberania do País.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil