App Pró-Saúde ajuda profissionais em avaliações físicas

Ferramenta é exemplo do trabalho realizado pelo Conselho Regional de Educação Física da 5ª Região (CREF5-CE) em prol da sociedade.

app


Começar uma atividade física é um passo importante para quem busca qualidade de vida. Checar as condições de saúde antes de iniciar a prática é ainda mais importante. Nesse sentido, um aplicativo lançado pelo Conselho Regional de Educação Física da 5aªRegião (CREF5-CE) tem sido um aliado de profissionais e alunos que estão iniciando o hábito de fazer exercício físico.

O aplicativo Pró-Saúde reúne os principais instrumentos de avaliação pré-participação já conhecidos pelos profissionais de Educação Física desde a faculdade. Antes de iniciar a prática, o aluno é cadastrado e responde a perguntas para elaboração da anamnese, com histórico de hábitos adquiridos, Par-Q e risco cardiovascular. “O app é uma ferramenta que avalia as condições prévias de saúde do indivíduo baseado nesses instrumentos”, afirma o Professor Doutor Adriano César Carneiro Loureiro, Presidente da Comissão de Educação Física e Saúde do CREF5-CE e professor adjunto da Universidade Estadual do Ceará.

Como explica o docente, o aplicativo faz o cruzamento de informações por meio de um algorítimo. A partir das respostas, a ferramenta gera um relatório que diz ao profissional se o aluno está liberado, liberado com restrições ou não liberado para a prática da atividade física. “Nem todo mundo está apto a realizar exercício físico. Ele de certa forma altera um pouco o metabolismo das pessoas, e se o indivíduo estiver com algum problema de saúde ou tiver probabilidade de desenvolver algum problema, esse risco pode ser aumentado com a atividade”, alerta Adriano César Carneiro Loureiro.

O professor ressalta que o aplicativo não substitui a orientação médica, a quem o aluno deve recorrer antes da prática de exercícios. Mas na impossibilidade desta consulta, a ferramenta é um auxílio para os profissionais de Educação Física avaliarem previamente as condições de saúde do aluno. “Esse instrumento vem auxiliar num diagnostico prévio. O aluno que não tem possibilidade de ir ao médico, pelo menos, tem o conhecimento se está minimamente apto ou não a um determinado nível de atividade física”, observa. 

Tecnologia
A utilização de aplicativos na Educação Física cresce cada vez mais. Para o profissional de Educação Física, quem utiliza as ferramentas tecnológicas no trabalho deve se atentar para a procedência dos aplicativos. “É preciso saber se aquelas informações que o aplicativo contém ou o instrumento utilizado para coletar as informações são fidedignos. Muitas vezes, você tem uma ferramenta bacana, interativa, mas que pode dar informação errada”, observa Adriano César Carneiro Loureiro.

O aplicativo Pró-Saúde foi desenvolvido sob a coordenação do Professor Doutor Francisco José Gondim Pitanga, do Cref da Bahia, referência na área de avaliação física. “A partir dessa referência, podemos dizer que esse aplicativo é adequado para o uso”, destaca Adriano César Carneiro Loureiro. Para ele, a ferramenta é um aliado de profissionais e clientes. “O objetivo do Conselho é defender a sociedade, então o app é uma ferramenta que pode ser utilizada pelo profissional de Educação Física justamente nesse sentido para oferecer o melhor serviço para a sociedade”, arremata.

Conteúdos
O leitor do Diário do Nordeste pode conferir mais conteúdos relevantes sobre o trabalho do Conselho Regional de Educação Física da 5aªRegião (CREF5-CE), atividades físicas e saúde na editoria Vida Ativa, no site do Diário, acessível em: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/vidaativa