Recital cearense no futebol Sulamericano

Confira a coluna desta quinta-feira (26)

Imagem mostra montagem com dois jogadores
Legenda: Ceará e Fortaleza tiveram noite histórica em competições internacionais.
Foto: Felipe Santos/Ceará SC e Bruno Oliveira/Fortaleza EC

NOITE DOS dos VULNERÁVEIS

O gol de Romero, aos três minutos, em grande jogada de Moisés fez mal a saúde do Colo-Colo.

O setor de defesa chileno virou espaço de visitação permanente do tricolor.

Bola em profundidade para Moisés era pânico  para Fuentes, Amor e Falcon.

Mesmo baixando as linhas de marcação, o Fortaleza continuou azucrinando o Colo Colo ultrapassando suas vulneráveis linhas de contenção nos contra golpes.

Moisés reabilitou-se de uma chance perdida ao assinalar o segundo gol aos vinte e cinco minutos. 

A equipe chilena apelou para o jogo aéreo e, posteriormente, para os chutes de longa distância.

Mesmo com tarefa fácil pela frente Fortaleza pecou em não desacelerar o jogo e tirar, por completo, o  ímpeto adversário.

Mamão com açúcar foi servido ao time de Vojvoda com a expulsão de Rojas aos seis do segundo tempo. 

Logo aos dez e catorze minutos Moisés e Pikachu aumentaram para  4 x 1.

Íncrivel que, mesmo diante da fragilizização chilena, o Fortaleza não controlou o jogo, não tirou a bola do Colo-Colo e se tornou vulnerável a ponto de  tomou dois gols e ser fustigado. Não precisava ter passado por isso.

Um grande feito do Leão ao seguir na Libertadores  conquistando esse direito em grupo difícil.
E o mais importantes: pazes com uma vitória gigante.

CEARÁ EXIBIU FORÇA E INTELIGÊNCIA

O Ceará foi múltiplo na insofismável vitória sobre o Independiente.

Foi para o jogo, sabendo o que seria o adversário. 

Fez, rigorosamente, o que tinha de fazer.

Deu um tratamento de primeira aos argentinos, nas duas pontas: marcou e atacou.

O vigor empregado em cada lance defensivo afetou o grau de paciência do Independiente.

Nos gols assinalados, a letalidade pontuada por uma garra impressionante.

A determinação da equipe de Dorival Jr. foi de executar o adversário, sem se escudar nas vantagens do regulamento. Tudo a seu tempo. As estratégias foram sendo usadas, de acordo com o que jogo pediu.

Não só pela defesa feita, quando o Ceará tinha desperdiçado oportunidades. João Ricardo foi ponto de equilíbrio, com uma atuação segura.

Mas, o que Mendonza jogou foi uma coisa impressionante. Nunca um jogador se multiplicou tanto em um jogo, como o colombiano. Começou e terminou em grande estilo, marcando o gol que sepultou o Independiente.

Depois da exuberante atuação contra o Palmeiras, pelo Brasileiro, foi a maior exibição do Ceará em 2022.

Venceu o jogo pelos caminhos certos. E no terreiro do inimigo.



Assuntos Relacionados