Nem uma coisa nem outra

Leia a coluna deste sábado (30)

Disputa de bola entre jogadores de Flamengo e Santos
Legenda: Calendário mais apertado dificulta melhor desempenho dos times brasileiros
Foto: Divulgação/CR Flamengo

A reclamação é geral pela falta de maior qualidade no futebol brasileiro.

Os times são massacrados por um calendário asfixiante, ainda mais em ano de Copa do Mundo.

Assistimos um verdadeiro campeonato de cãibras e contusões mais sérias.

O Brasileirão transformado em competição de resistência, em prejuízo do encanto que o futebol deve proporcionar.

A mídia esportiva não fala de outra coisa, senão sobre esse cenário, principalmente quando os times se fecham em esquemas defensivistas.

Mas, vejam bem. Quando assistíamos um jogo de intensa trocação (futebol de "lá e cá"), o comentarista da TV tratou de definí-lo como pelada divertida.

Então, fica difícil de saber o que esses "entendidos" desejam com suas análises.

Se o jogo aberto e franco é uma pelada e futebol defensivo e tedioso, qual seria a solução?

Sinceramente, como  definiríamos um futebol que não é uma coisa nem outra?

É preciso estudar bem e profundamente o assunto, na busca de um meio-termo.

Durma-se, com uma zoada dessa.



Assuntos Relacionados