Histórica, CPI da Pandemia pautou feminismo e combateu homofobia

Após cinco meses de investigações, o relatório final deve ser apresentado nos próximos dias

Legenda: A pauta da homofobia ganhou protagonismo nos debates da comissão no Senado
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Muito além de investigar supostas irregularidades na condução da gestão da crise na saúde do País, a Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado Federal, que está às vésperas do encerramento, fez história e pautou temas caros à sociedade atual. Feminismo e homofobia foram temas debatidos em um ambiente que ainda precisa aprender muito sobre minorias.

Pouco mais de uma semana de instalação da CPI, a primeira polêmica: sem vaga formal no colegiado, a bancada feminina precisou fazer revezamento para participar dos debates.

Com 11 membros titulares e 7 suplentes, e sem indicação partidária de nenhuma mulher para participar das investigações, a bancada feminina precisou provocar a presidência da comissão e pautar a imprensa para a conquista do espaço.

Depois de muito constrangimento, a vaga acabou sendo concedida ao grupo de parlamentares. Foi decidido que a cada lista de inscrição uma senadora poderia ter a palavra, seja no modo presencial ou remoto.

Homofobia

Outro tema que ganhou muita repercussão foi a postura do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) na sessão da CPI da Pandemia ao relatar declaração homofóbica por parte do depoente, o empresário Otávio Fakhoury.

Investigado por difundir informação falsa sobre a Covid-19, Fakhoury publicou em uma rede social texto com teor agressivo sobre o parlamentar. Contarato, em tom educativo, fez o empresário pedir desculpas publicamente.

Repercussão

A CPI da Pandemia, que se arrasta por mais de cinco meses, deve ser encerrada nos próximos dias. A expectativa é que diversos personagens que estão ligados diretamente a supostas irregularidades na gestão da crise na saúde pública sejam indiciados.

Apesar das investigações terem se concentrado, acertadamente, em assuntos como gabinete paralelo, tratamento precoce, atraso na compra das vacinas e suspeitas de corrupção, a CPI também educou, seja pelo constrangimento ou pela repercussão nacional de temas abordados.

Muito tem se questionado sobre os resultados práticos das investigações. O Brasil espera uma resposta do trabalho dos senadores e da Justiça que dará andamento às investigações.

No entanto, a CPI da Pandemia, antes mesmo de apresentar o relatório final, já muito ensinou ao Brasil e mudou o patamar do modelo de investigações em colegiados. O nível de exigência daqui pra frente será outro.



Assuntos Relacionados