Preço do GNV segue em disparada no Ceará e já é o 3º mais alto do Brasil

Valor médio do metro cúbico subiu para R$ 4,80

Legenda: Preço do GNV deve impactar motoristas de aplicativo e taxistas
Foto: Diário do Nordeste

O preço do Gás Natural Veicular (GNV) continua em escalada acentuada no Ceará. Conforme dados mais recentes da ANP (Agência Nacional do Petróleo), o metro cúbico (m³) do combustível já subiu 31 centavos em apenas duas semanas.

Na pesquisa semanal realizada até o dia 6 de novembro, a cotação média estava em R$ 4,49, valor que saltou para R$ 4,80 no último levantamento, efetuado até o dia 20 deste mês, com 19 postos sondados no Estado. O preço mínimo está em R$ 4,49 e o máximo, em R$ 4,89.

Essa disparada no preço do gás natural veicular levou o Ceará ao indigesto ranking dos estados mais caros para abastecer com esse combustível. Conforme os dados da ANP, o Estado perde apenas para Rio Grande do Sul (R$ 4,84) e Rio Grande do Norte (R$ 4,83).

Ranking de preços do GNV por estado

  1. Rio Grande do Sul: R$ 4,84
  2. Rio Grande do Norte: R$ 4,83
  3. Ceará: R$ 4,80
  4. Alagoas: R$ 4,69
  5. Paraíba: R$ 4,64
  6. Mato Grosso do Sul: R$ 4,58
  7. Sergipe: R$ 4,49
  8. Espírito Santo: R$ 4,48
  9. Santa Catarina: R$ 4,44
  10. Rio de Janeiro: R$ 4,40
  11. Paraná: R$ 4,32
  12. Minas Gerais: R$ 4,29
  13. Amazonas: R$ 4,19
  14. Pernambuco: R$ 3,95
  15. Bahia: R$ 3,92
  16. São Paulo: R$ 3,82
  17. Mato Grosso: R$ 3,19

 

Os demais estados não entraram na pesquisa.

Recordes em 2021

Os preços do GNV em 2021 foram impactados, especialmente, pelo reajuste de 39% aplicado pela Petrobras às distribuidoras em abril deste ano. Aquele aumento fez com que o combustível chegasse a um patamar inteiramente novo nos postos, beirando a casa dos R$ 5 por metro cúbico.

Consideravelmente mais barato que a gasolina, o GNV é uma alternativa importante para motoristas de aplicativo e taxistas, pois permite a circulação com uma razão maior de custo-benefício.

O aumento nos preços acaba por impactar os ganhos desses profissionais, os quais já estão sofrendo sobremaneira com a inflação. 

 



Assuntos Relacionados