Não é só com músculos que se apita futebol

Leia a coluna desta segunda-feira (1)

Imagem mostra árbitro de futebol
Legenda: Anderson Daronco foi o árbitro da partida entre Ceará e Palmeiras.
Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Não contesto a vitória (1 x 2) do Palmeiras, que é superior ao Ceará. Condeno a falta de critério na arbitragem nacional, máxime a participação do VAR. Os árbitros que ficam trancados numa cabine confortável, longe das vaias da torcida, estão cometendo erros inaceitáveis. Um absurdo aconteceu na derrota do Ceará. Mendoza sofreu um pênalti escandaloso. O árbitro Anderson Daronco não marcou.

O VAR respeitou a decisão do árbitro. Correto teria sido sugerir a revisão. No lance que originou a expulsão de Richardson, Daronco também nada marcou. Nesta parte o VAR não respeitou a decisão de campo e recomendou a revisão. Daconro reviu o lance na telinha e expulsou Richardson. A pergunta é: por qual razão o VAR recomendou a revisão no lance que prejudicou o Ceará e não recomendou a revisão no lance que beneficiaria com um pênalti o Vozão? Houve mais dois lances polêmicos.

Enfim, uma arbitragem comprometida pela posição sem critério adotada pelo VAR e por um Daronco que conheci mais correto nas decisões em campo. Daronco é bom árbitro, mas precisa apurar a vista e a percepção. Não é só com músculos de Schwazenegger que se apita futebol. No momento, faltam-lhe capricho e atenção.  

Valentia 

Há que se exaltar a valentia do Ceará. Não é para qualquer time do Brasil encarar o Palmeiras como o Ceará encarou no segundo tempo, exatamente quando o Vozão estava com um jogador a menos. Foi muita raça. E por pouco não chegou ao empate. Foi muita fibra, muito coração. Inacreditável a força que conduziu a reação alvinegra na reta final. 

Vizinhos 

Na Série A nacional, a próxima partida do Ceará será diante do Botafogo no Estádio Engenhão. Os alvinegros não estão ligados apenas pelas cores do uniforme, mas também pela pontuação: 24 pontos cada. As campanhas são semelhantes, mas o Botafogo venceu mais. Ganhou sete jogos. O Ceará venceu cinco. Em compensação, o Botafogo perdeu mais dez vezes. O Ceará perdeu seis. 

Sem descanso 

Pela Copa Sul-Americana, o Ceará já enfrentará o São Paulo, quarta-feira, depois de amanhã, no Morumbi. Fico a pensar o quanto pesará o desgaste sofrido diante do Palmeira, onde o Vozão jogou um tempo com um jogador a menos. Pior é que o jogo no Morumbi será o início das duas decisões agregadas, onde o desgaste será ainda maior. Calendário cruel, desumano, insuportável. 

Ídolo Zico em Fortaleza 

No “Papo de Craque”, quarta-feira, o encontro será com um dos maiores ídolos do futebol em todos os tempos, Zico. O evento faz parte das comemorações pelo Dia dos Pais. A vida do atleta, glórias, superações, liderança, com a presença e relatos ao vivo do próprio Zico. Será às 18:30, no Teatro do Shopping RioMar Fortaleza. Antero Neto e eu conduziremos o bate-papo. Imperdível.