Ceará assina memorando para terminal de gás natural com empresa britânica

Acordo de cooperação foi assinado nesta segunda (17) com a British Petroleum

Legenda: Estado assina memorando de gás natural com empresa britânica
Foto: Divulgação

O Governo do Estado confirmou mais um acordo de entendimento para investimentos no Ceará, dessa vez para fornecimento e produção de gás natural. Nesta segunda-feira (17), a vice-governadora, Izolda Cela, e o secretário de desenvolvimento econômico do Estado, Maia Júnior, firmaram um memorando com a empresa britânica BP Gás & Power (BP).

Ainda não há previsão de investimentos, mas a companhia deverá construir um terminal de gás no Porto do Pecém em cooperação com o Governo do Estado. A BP já tem operações no Ceará há cerca de 1 ano, quando investiu em dois parques solares nos municípios de Icó e Milagres.

Para esses empreendimentos, houve um investimento de cerca de R$ 1,4 bilhão. 

O novo terminal de gás, segundo o governador Camilo Santana, deverá gerar 5 mil empregos e ter capacidade de abastecer 10 milhões de residências.

Já a vice-governadora, Izolda Cela, comentou a importância das parecerias do Estado com empresas privadas como uma forma de impulsionar o desenvolvimento econômico.

“Aqui no Ceará nós temos trabalhado muito, mas também com essas parcerias fundamentais, no sentido de posicionar o estado em uma condição importante, condizente com o potencial que nós temos e se encaixa nesta questão energética. Além de tudo que isso representa, tanto para o desenvolvimento do Ceará, mas também para o mundo”, disse.

Gás natural 

A expectativa é de que novo terminal de gás natural no Porto do Pecém seja capaz de abastecer a demanda total do Ceará quando estiver pronto. A BP, no entanto, ainda deverá fazer os estudos de viabilidade econômica para dimensionar investimentos e tamanho da planta. 

Ainda haveria uma perspectiva de que o novo terminal de gás natural da BP pudesse firmar um contrato de fornecimento para a Companhia de Gás do Ceará (Cegás), mas essas negociações deverão se estender durante este ano, sem previsão para conclusão.