Forró avança no reconhecimento como Patrimônio Cultural do Brasil e Iphan quer ouvir população

Interessados podem colaborar com opiniões sobre a identidade do gênero nordestino por meio de formulário digital

Da sanfona ao passo de dança, o forró é plural
Legenda: Da sanfona ao passo de dança, o forró é plural
Foto: JL Rosa/SVM

O forró caminha mais um passo para ganhar o principal título da cultura. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) publicou no Diário Oficial da União, na última sexta-feira (5), o Aviso de Tramitação da proposta de registro das Matrizes Tradicionais do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil.  

Durante um prazo de 30 dias, a sociedade civil pode se manifestar sobre o que define o gênero nordestino. Terminado esse período, a proposta será enviada para avaliação do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que decidirá em reunião – com data a ser definida – se as Matrizes Tradicionais do Forró se tornarão um bem registrado pelo Instituto.

Veja entrevista sobre o assunto:

“Para que um bem receba o título de Patrimônio Cultural é necessário demonstrar sua relevância para a memória nacional, sua continuidade histórica e de que forma este bem carrega as referências culturais de grupos formadores da sociedade brasileira”, explicou o diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI) do Iphan, Tassos Lycurgo.

A solicitação de registro foi apresentada em 2011 pela Associação Balaio do Nordeste e pelo Fórum Forró de Raiz da Paraíba, recebendo o endosso da superintendência do Iphan no estado da Paraíba. A proposta teve apoio de 423 forrozeiros de todo país, por meio de abaixo-assinado.

Matrizes Tradicionais do Forró

Encontro Nacional de Forrozeiros debateu as matrizes do forró em João Pessoa
Legenda: Encontro Nacional de Forrozeiros debateu as matrizes do forró em João Pessoa
Foto: João Lima Neto/SVM

As "Matrizes Tradicionais do Forró" são uma forma de expressão que envolve diversas modalidades artísticas, cujo núcleo é a performance social de um leque de tipos de música e dança. Desde seus primeiros registros conhecidos, no início do século XX, a palavra “forró” assumiu também o sentido de um tipo específico de música, cantada ou instrumental, para ouvir e para dançar.

Forró também passou a designar um tipo de evento com música ao vivo e dança, onde há a presença de um repertório de gêneros musicais como o baião, o xote, o arrasta-pé, o xaxado, o coco, o forró e a toada. O forró, assim como o choro, o frevo e o samba, definiu-se nos bailes e festividades populares, num ambiente de amplo convívio social e cultural.

Opinião do povo

Toda a população pode se manifestar sobre o registro das Matrizes Tradicionais do Forró por meio do correio eletrônico dpi@iphan.gov.br ou via correspondência, enviando propostas para o Departamento de Patrimônio Imaterial - SEPS Quadra 713/913, Bloco D, 4º andar - Asa Sul -Brasília - Distrito Federal - CEP: 70.390-135. As manifestações também podem ser realizadas via formulário digital.

O instrumento legal que assegura o reconhecimento do Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil no âmbito federal é o registro, gerido pelo Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, com apoio das superintendências e unidades especiais do Instituto.