Após cobrança por expulsão de Ronivaldo, presidente do PT CE diz que julgamento está na reta final

Coletivo de mulheres do PT no Ceará fez críticas à demora do partido em decidir sobre filiação do vereador

Ronivaldo Maia na Câmara Municipal de Fortaleza
Legenda: Ronivaldo Maia pode ser expulso do PT por episódio de violência contra a mulher sob investigação
Foto: Érika Fonseca / CMFor

O presidente do PT Ceará, Antônio Filho, o Conin, disse que o processo disciplinar contra o vereador Ronivaldo Maia, investigado por tentativa de feminicídio, deve ter conclusão em até 30 dias após Conselho de Ética interno encerrar procedimentos.

Nesta terça-feira (3), o partido foi cobrado pelo coletivo de mulheres do PT Ceará, que exigiu a expulsão do vereador da legenda e criticou a demora em ser dada resposta à situação.

Em abril, após quatro meses afastado da Câmara, dois deles preso preventivamente, Ronivaldo reassumiu o mandato. O episódio aconteceu semanas depois de o Conselho de Ética decidir arquivar pedido de cassação contra o petista.

Segundo Conin, na manhã desta terça-feira, foi realizada audiência de instrução na Comissão de Ética do PT, na sede do partido.

"Se a instrução for concluída hoje, terá 10 dias para alegações finais, e a Comissão de Ética apresentará parecer para levar ao Diretório. Não deve levar mais de 30 dias para julgar no Diretório", pontuou o presidente.

Ele voltou a ressaltar que o PT "não vai pactuar, de forma alguma, com nenhum tipo de violência, mas não vai fazer julgamento de exceção e suspender o direito de defesa de ninguém".

Suspensão

Em novembro do ano passado, logo após a prisão em flagrante do vereador, a Executiva Municipal do PT em Fortaleza anunciou a suspensão de Ronivaldo. Foi formada uma comissão, presidida pela ex-vereadora do PT, Dra. Donizete, que encaminhou o relatório pedindo a abertura de processo disciplinar.

O coletivo de mulheres do PT criticou a demora na conclusão do processo, após cerca de seis meses. 

"Sabemos que o PT tomou as providências estatutárias previstas com a suspensão imediata da filiação do vereador, instaurando o processo disciplinar interno para julgar politicamente a atitude do parlamentar. Entretanto, o tempo da política não é o mesmo do tempo burocrático", diz a nota.

A nota ressalta também que "muito envergonha a luta das mulheres que a Câmara Municipal de Fortaleza tenha arquivado sumariamente o pedido de cassação do mandato do vereador" e que ele tenha retomado o exercício de seu mandato "como se nada houvesse acontecido".

Ronivaldo Maia foi procurado pelo Diário do Nordeste, através da assessoria de imprensa, mas ainda não houve manifestação.